Seguro: "Guterres será um secretário-geral da ONU de iniciativa"

Ex-líder do PS quebra o silêncio para se manifestar convicto de que António Guterres terá a capacidade de influenciar e mobilizar vontades.

António José Seguro, que foi ministro Adjunto de António Guterres, considera num post do Facebook, que a eleição do novo secretário-geral das Nações Unidas "é um sinal de esperança para o mundo".

"Não pelo poder de decisão, pois esse pertence ao Conselho de Segurança, mas pelas suas capacidades de influência, de mobilizar vontades e de gerar consensos", afirma Seguro.

Afastado da atividade política desde que perdeu o partido para António costa, depois de ter sido derrotado nas primárias do PS de outubro de 2014, António José Seguro diz que Guterres não será um secretário administrativo, mas antes "de iniciativa". "A sua visão do mundo reflete os seus valores humanistas e a profunda solidariedade que deve nortear as relações entre os povos", escreve.

Acrescenta ainda que do novo responsável pela ONU não se espera qualquer milagre, apenas que seja igual a si próprio. E dá como exemplo a condução que o então primeiro-ministro António Guterres fez do processo que conduziu à independência de Timor-Leste.

"Que coloque ao serviço do mundo a energia, a determinação e a inteligência que colocou, por exemplo, no processo que conduziu à auto determinação de Timor Leste".

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG