Santos Silva afirma que a direita não apresentou "nenhuma ideia"

Para Augusto Santos Silva, "as forças à direita do hemiciclo só têm a propor a continuação das políticas de cortes de rendimento"

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, encerrou esta quinta-feira em nome do Governo o debate do Estado da Nação, para acusar a direita de "falta de comparência" ao debate, notando que "em 4 horas de debate" PSD e CDS não apresentaram "nenhuma ideia, nenhuma política".

Apenas, argumentou, "muita obsessão com os supostos despedimentos na CGD que não existirão", mas também com a coerência do PCP e a "meteorologia" da Grécia.

Santos Silva começou por notar que o "incumprimento" no défice, que pode levar à sanção de Portugal, "é uma evidência": "Os objetivos proclamados de 2011 a 2015 foram incumpridos".

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, afirmou que sem vez de uma política alternativas "as forças à direita do hemiciclo só têm a propor a continuação das políticas de cortes de rendimento, que prosseguiram, com efeitos nefastos, na última governação." Algo que não é de estranhar já que "os responsáveis políticos são os mesmos".

Após esta intervenção, os deputados aprovaram votos de pesar pelos recentes atentados no Iraque, Bangladesh e Arábia Saudita e a deslocação do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, ao Brasil, Estados Unidos da América e França.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG