Sampaio da Nóvoa conta com todos. Maria de Belém incluída

Manhã farta em Barcelos: bombos, concertinas, cantadores ao desafio. Antigo reitor não desvaloriza sondagens mas só fala em segunda volta

Sampaio da Nóvoa recusou qualquer cenário em que não haja segunda volta e conta com o apoio de todos, Maria de Belém incluída. Sem desvalorizar as sondagens, o candidato presidencial disse que "há outros indicadores, da adesão das pessoas, do movimento que se tem gerado à volta desta campanha".

Falando aos jornalistas em Barcelos, no final de uma manhã farta, com carro de som, bombos, concertinas, cantadores ao desafio e largas dezenas de pessoas, Nóvoa afirmou que nunca apelará à desistência de nenhum dos candidatos. "Seria um gesto contrário ao que é a minha atitude democrática. Os candidatos que vieram as estas eleições, vieram porque entenderam que tinham um contributo a dar", explicou-se.

No entanto, o antigo reitor da Universidade de Lisboa disse contar com o apoio de Maria de Belém para uma segunda volta. "Espero ter toda a gente, incluindo Maria de Belém", afirmou. E ele fará o mesmo: "Na hipótese improvável de eu não passar à segunda volta, o candidato que passar à segunda volta terá o meu apoio."

Nóvoa espera ter ainda o apoio de António Costa e do PS, apesar de, por onde passa a sua caravana, contar quase sempre com a forte mobilização de estruturas socialistas, como este sábado em Barcelos, onde teve a seu lado o presidente da autarquia, o socialista Miguel Costa Gomes. E disse respeitar a decisão do PS em dar liberdade de voto. "Na segunda volta espero ter toda a gente que seja contra o candidato que representa valores contrários aos valores pelos quais me bato."

Sobre a acusação de Manuel Alegre, o histórico socialista que está com Maria de Belém, já ter visto o "filme" de um candidato dito independente avançar para a formação de um novo partido, Sampaio da Nóvoa limitou-se a responder que "jamais o faria". "Foi o compromisso que assumi desde o primeiro dia. É uma coisa completamente impensável e fora de qualquer possibilidade", defendeu.

"Esta candidatura foi lançada há muitos meses, sem esperar por ninguém, sem esperar por partidos, uma candidatura independente, que tem essa marca, que nunca fez nenhum discurso contra os partidos, pelo contrário, sempre disse que todos os partidos, todos os militantes, todas as estruturas, eram muito bem-vindas", justificou. Para logo acrescentar que "todas as pessoas são muito importantes", sejam "pessoas que estão no governo", como Augusto Santos Silva, ministro dos Negócios Estrangeiros que participou ontem no comício de Matosinhos, ou "que estão na base".

Sampaio da Nóvoa está este sábado no Minho, com um programa intenso que passa pela sua terra natal, Valença, mas também pela vila onde estudou, Caminha, para acabar com um comício em Viana do Castelo.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG