Rui Rio: Liderança do PSD? "Já inaugurei"

O presidente do PSD desvalorizou declarações de Santana Lopes

O presidente do PSD desvalorizou hoje a polémica em torno da acusação que lhe foi dirigida por Pedro Santana Lopes de ainda não ter inaugurado a liderança do partido.

Rui Rio considera que se tratou de um apelo interno a dizer que "deveriam dar oportunidade a que pudesse inaugurar a liderança do PSD".

"A crítica não era exatamente para a direção nacional. A crítica é para quem internamente está mais apostado em destruir do que a ajudar a construir. Interpretei assim. E, aliás, o próprio já teve oportunidade de me explicar que era essa a ideia que queria transmitir", afirmou à entrada para a reunião do Partido Popular Europeu, em Bruxelas.

Barreiras Duarte

Sobre a demissão do secretário-geral do partido, Feliciano Barreiras Duarte, na sequência das acusações de falsificação dados curriculares, Rui Rio considera que se tratou de uma polémica desproporcionada.

"Foi de uma desproporção brutal, relativamente àquilo que está em causa. E, isso não é bom para a democracia", considerou, admitindo, embora sem referir a alegada falsificação de dados do currículo de Barreiras Duarte, que "bom para a democracia é as pessoas comportarem-se como deve de ser e que haja escrutínio".

"Desproporção [e] massacres, da forma como vimos, acho que foi um exagero", condenou o presidente do PSD, admitido que "dizer isto, neste momento, é capaz de ainda não ser politicamente correto".

"Mas, as pessoas daqui por algum tempo - pouco tempo -, vão ver que houve uma desproporção muito grande e que houve demasiada crueldade, face àquilo que eram as falhas que lhe imputavam [ao antigo secretário-geral]", lamentou.

Eleições europeias

Questionado sobre se a proximidade das eleições europeias, agendadas para maio de 2019, já o fez pensar sobre o cabeça de lista e se Paulo Rangel, que estava ao seu lado à entrada para a reunião do PPE, poderia ser um nome a repetir no próximo mandato, Rio foi evasivo, embora dê a entender que a decisão está tomada.

"Naturalmente que tenho na minha ideia quem deve ser o cabeça de lista às eleições europeias. Agora não será mais ou menos aqui que eu vou anunciar, com um ano e tal de distância, quem é que eu entendo que deve ser o cabeça de lista", disse.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG