Relatório de 2014 sobre o SIRESP recomendava medidas de caráter urgente

KPMG alertou para a necessidade de um plano de ação, apontando 30 medidas para corrigir falhas

Um relatório pedido pelo Governo de Pedro Passos Coelho, em 2014, apontava falhas no SIRESP (Sistema Integrado de Redes de Emergência e Segurança de Portugal) e continha um plano de 30 medidas, sendo 13 prioritárias e urgentes. A notícia é avançada pela SIC e não se sabe se o plano de ação foi colocado em prática, ou não, nos cerca de três anos que entretanto passaram.

Foram quatro os parâmetros de análise: Cobertura, Grau de Serviço, Segurança e Resiliência. O relatório apontava que o SIRESP estava, em termos globais, ao nível das melhores práticas a nível internacional, mas foram apontadas falhas ao nível da Cobertura e da Resiliência. A capacidade de, em situações imprevisíveis ou de emergência, recuperar a rede, estava ainda num estado de desenvolvimento inicial, diz o relatório da KPMG, ciato pela SIC.

Entre as medidas indicadas, estão a compra de uma aplicação para monitorizar o sinal e recolher informações dos terminais das estações, a aquisição de duas estações móveis equipadas, entre outras coisas, com comunicação via satélite, e a necessidade de instalar mais quatro estações base.

Além destas, fazia também parte do plano efetuar o cadastro dos terminais, substituir três torres que ameaçavam cair e realizar um plano de contingência. Este plano visava situações de falência do sistema, de modo a definir uma estratégia coordenada e procedimentos técnicos que permitissem uma recuperação rápida da rede.

A notícia surge esta terça-feira, dia em que o SIRESP apresentou o relatório de desempenho relativamente aos incêndios que provocaram 64 mortos, onde é dito que o serviço "esteve à altura da complexidade do teatro de operações".

No relatório apresentado, o capítulo dedicado às "conclusões e recomendações" refere que "não houve interrupção no funcionamento da rede SIRESP, nem houve nenhuma estação base que tenha ficado fora de serviço em consequência do incêndio".

O comandante dos Bombeiros Voluntários de Pedrógão Grande, Augusto Arnaut, garantiu esta terça-feira à agência Lusa que "houve falhas" no Sistema Integrado de Redes de Emergência e Segurança de Portugal (SIRESP). "Eu já reportei a quem de direito. Passados dois dias, reportei a quem de direito", afirmou Augusto Arnaut, depois de questionado sobre o funcionamento do SIRESP.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG