Quanto tempo de espera na urgência? Descubra num clique

Governo apresentou hoje o novo portal do Serviço Nacional de Saúde. No mesmo link pode marcar consultas e saber tempos de espera

Sabia que no Serviço Nacional de Saúde (SNS) realizam-se 85 mil consultas por dia e 114 cirurgias por hora? E que são vacinados 10 mil utentes por dia? Estes são apenas alguns dos muitos dados que a partir de hoje pode encontrar no Portal do SNS, que junta toda a informação que está disponível e até ontem dividida por vários sites. A criação deste agregador faz parte do programa Simplex para a administração pública.

Dividido por quatro áreas, o portal pretende dar toda a informação disponível ao utente. Os tempos de espera na urgência dos hospitais por cada prioridade, quanto tem de aguardar por uma consulta ou uma cirurgia de determinada especialidade. Informação para muitos preciosa que pode ser consultada antes de sair de casa, mas que ainda não está completa. Alguns hospitais ainda estão a atualizar os sistemas informáticos de forma a dar a informação em tempo real. Pode ainda, depois de se inscrever no Portal do Utente, marcar consultas ou pedir receitas sem ter de ir ao centro de saúde.

Na área da transparência pode ficar a saber quantos exames, consultas ou chamadas foram feitas para a Saúde 24. Por exemplo, que este ano já realizaram mais de 28 mil mamografias e que hoje já nasceram 89 bebés e se gastou 1,2 milhões de euros em medicamentos.

"O objetivo deste portal é ter uma relação diferente com o cidadão, que tem todo o direito de saber como fazemos saúde, quanto tempo têm de esperar, se os recursos estão a ser bem usados, se a lista de espera está assegurada. É uma grande responsabilidade para todos nós. Há um clima diferente no SNS, onde a opacidade não tem de existir. Não podemos confundir a falta de recursos com a falta de organização dos mesmos e temos falta de capacidade de organizar bem os recursos", afirmou o Ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes.

O responsável frisou a importância de esta ser uma forma de tornar os serviços públicos mais competitivos. Mas também de serem mais transparentes. "O cidadão tem todo o direito de interpelar e nós de fazer prova do que realizamos todos os dias", salientou. Adalberto Campos Fernandes reforçou que nos próximos meses a aposta é tornar todos os dados disponíveis. "Consideramos que os tempos de espera, quer para as urgências quer as listas para cirurgia programadas, são prioritárias. O objetivo é que durante um ano a saúde se agregue em torno de um só portal", disse.

A ministra da Presidência e Modernização Administrativa, Maria Manuel Marques, afirmou que o objetivo é que "a informação seja percetível para os utentes e usada para melhorar a relação de confiança com os serviços públicos". O próximo programa do Simplex será apresentado em maio.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG