PSD quer participar de Armando Vara ao Ministério Público

Antigo administrador da CGD está a ser ouvido no parlamento. Diz não ter memória de ter falado com José Sócrates sobre a CGD

O PSD pediu esta quarta-feira que seja extraída "certidão para participação ao Ministério Público" das declarações de Armando Vara à comissão parlamentar de inquérito à Caixa Geral de Depósitos (CGD). Em causa as declarações do ex-administrador do banco público sobre se alguma vez falou ou não com o então primeiro-ministro, José Sócrates, sobre questões relativas à CGD.

Questionado inicialmente pelo centrista João Almeida, Armando Vara disse nunca ter falado com "ninguém do governo" sobre dossiers da Caixa, nem recebido quaisquer orientações do executivo. Já quando questionado pelo social-democrata Hugo Soares, Vara disse não se recordar de ter falado com José Sócrates sobre o banco público.

Face às duas versões, Hugo Soares pediu então que as declarações de Vara sejam remetidas ao Ministério Público - "Não pode responder-me uma coisa a mim e outra a outro deputado". E João Almeida pediu a palavra para questionar qual das versões é, afinal, válida. O antigo administrador da CGD e do BCP voltou a responder e começou por ser taxativo: "Tenho a certeza que nunca falei com ele [José Sócrates], tenho a certeza que ele nunca falou comigo". Mas logo a seguir foi bem menos contundente: "Na minha memória não está nada".

Numa inquirição bastante tensa ao antigo administrador da CGD e também ex-ministro socialista, Hugo Soares questionou a resposta de Vara. "Algum português acredita que não tem memória se falou com Sócrates sobre a Caixa? Não, nem eu", disse o deputado social-democrata, apontando como contraste a descrição pormenorizada que Vara fez de um almoço com o ex-ministro das Finanças Campos e Cunha.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG