PSD felicita portugueses pelo crescimento e insta Governo a fazer reformas que país precisa

O partido advertiu que o Governo devia aproveitar "os tempos de bonança para preparar os tempos de tempestade" que podem advir de qualquer "problema internacional"

O deputado do PSD Duarte Pacheco defendeu esta segunda-feira que os dados do crescimento são positivos, felicitando "os portugueses por isso", mas advertiu que o Governo devia aproveitar a "conjuntura favorável" para fazer "reformas que o país precisa".

"São números positivos e felicitamos os portugueses por isso. Só com o trabalho de muita gente, muitas empresas, foi possível alcançar estes números. Contudo, é preciso ter cuidado. O Governo devia aproveitar um momento da conjuntura favorável - com o turismo em alta e a Europa a puxar por nós - para fazer as reformas de que o país precisa", afirmou à agência Lusa Duarte Pacheco.

Para o deputado social-democrata, devem aproveitar-se "os tempos de bonança para preparar os tempos de tempestade" que podem advir de qualquer "problema internacional" e "isso não está a ser feito".

O INE divulgou hoje que a economia portuguesa voltou a crescer 2,8% no segundo trimestre de 2017 face ao mesmo período do ano passado e, comparando com o trimestre anterior, cresceu 0,2%.

Por outro lado, Duarte Pacheco advertiu ainda que há "motivo de cautela" nestes dados do crescimento, porque, "em cadeia, é inferior ao trimestre anterior": "É preciso ter cuidado com a euforia porque, por vezes, as coisas não evoluem como nós desejamos".

O deputado social-democrata disse também esperar que "o Governo não tome medidas que possam contrariar a conjunta favorável positiva", como "novos impostos, como o 'imposto Mortágua', que pode afastar potenciais investidores", assim como medidas que possam afetar o turismo.

"O que está a acontecer no Aeroporto de Lisboa com o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras e a escassez de pessoal, faz com que a imagem de Portugal como país turístico fique prejudicada. Não podemos contrariar de modo nenhum o ambiente que é favorável", afirmou.

De acordo com a estimativa rápida das contas nacionais trimestrais relativas ao período entre abril e junho, o Produto Interno Bruto (PIB) aumentou 2,8% homólogos em volume, uma variação idêntica à registada no trimestre anterior.

A economia portuguesa mantém assim, pelo segundo trimestre consecutivo, o desempenho trimestral homólogo mais positivo dos últimos 10 anos, que iguala o crescimento verificado no último trimestre de 2007, período em que a economia portuguesa cresceu também 2,8%.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG