PSD e PS de acordo para a Defesa e Segurança Interna

O "bloco central" também já se tinha unido para eleger os fiscais das secretas

Maioria parlamentar de esquerda ignorada para a eleição dos membros da assembleia que vão integrar os Conselhos de Defesa Nacional e Segurança Interna e Informações. PSD e PS chegaram esta sexta-feira a acordo para a indicação de candidaturas conjuntas a estes órgãos, cujos atos eleitorais se realizam na próxima semana.

A lista conjunta para o Conselho Superior de Defesa Nacional integra Costa Neves (PSD) e Miranda Calha (PS), e para o Conselho Superior de Segurança Interna os ex-ministros Luís Marques Guedes (PSD) e Alberto Martins (PS).

Em janeiro, sociais-democratas e socialistas também tinha chegado a acordo para a escolha dos três membros do Conselho de Fiscalização do Sistema de Informações da República Portuguesa: Paulo Mota Pinto, ex-deputado do PSD, que se manteve como presidente; Filipe Neto Brandão, deputado do PS; António Rodrigues, advogado, ex-deputado do PSD. O Conselho de Fiscalização deixou de contar com o único magistrado do Ministério Público do grupo. O "bloco central" prescindiu do procurador-geral adjunto, José António Branco, que regressou ao tribunais.

Fora do acordo entre o PS e o PSD continua a escolha do presidente do Conselho Económico e Social.

* com Lusa

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG