PSD abre a porta a candidaturas de ex-militantes

Partido expulsou militantes que concorreram contra as listas do PSD, mas agora está disposto a recuperá-los para reconquistar autarquias

O PSD não quer excluir ninguém e admite até recuperar militantes que foram expulsos por se candidatarem em autárquicas em listas concorrentes às do PSD, como foi o caso de Marco Almeida em Sintra.

O coordenador autárquico Carlos Carreiras anunciou a aprovação por unanimidade no Conselho Nacional desta noite dos princípios de orientação estratégica do partido para as eleições autárquicas, que o DN avançou na edição impressa de hoje, e admite "convergência com pessoas que pensaram de maneira diferente de nós no passado". Assim, abre a porta a que regressem militantes expulsos ou zangados com o partido.

Carreiras fugiu da questão Santana Lopes em Lisboa, dizendo que "neste momento ainda não discutimos nomes" e reforçou que o PSD pretende reconquistar a presidência da Associação Nacional de Municípios Portugueses (ANMP).
O presidente da câmara municipal de Cascais disse ainda esperar ter duas derrotas na noite eleitoral: "uma primeira, de deixar a presidência do conselho geral da ANMP, que ao contrário da presidência executiva é atribuída ao segundo partido mais votado" e "deixar de ser presidente da maior câmara do PSD no país". Ou seja: espera que o partido ganhe pelo menos uma das outras quatro maiores que Cascais.

Exclusivos

Premium

Legionela

Maioria das vítimas quer "alguma justiça" e indemnização do Estado

Cinco anos depois do surto de legionela que matou 12 pessoas e infetou mais de 400, em Vila Franca de Xira, a maioria das vítimas reclama por indemnização. "Queremos que se faça alguma justiça, porque nunca será completa", defende a associação das vítimas, no dia em que começa a fase de instrução do processo, no tribunal de Loures, que contempla apenas 73 casos.