PSD vota contra o Orçamento e apresenta "zero" propostas de alteração

Partido não vai apresentar propostas de alteração ao Orçamento de Estado.

O PSD vai, como era esperado, votar contra o Orçamento do Estado do governo socialista de António Costa. O DN apurou junto de fonte da direção nacional que foi essa a decisão da comissão permanente esta manhã, tendo depois Passos Coelho comunicado a mesma aos deputados minutos depois, numa reunião da bancada na Assembleia da República.

Questionado pelo DN à saída da reunião, o coordenador do PSD na comissão de orçamento, Duarte Pacheco, explicou que o partido não vai apresentar "qualquer alteração proposta de alteração. Zero"

A decisão há muito vinha sendo praticamente anunciada nas palavras de dirigentes da bancada e do partido. Passos Coelho tem considerado o "orçamento restritivo" e durante o fim-de-semana acusou mesmo o governo do PS de se "ajoelhar" perante Bruxelas.

O voto contra do PSD é um tiro de pólvora seca, pois a esquerda já se entendeu para a viabilização do documento que começa esta tarde a ser debatido na Assembleia da República. Mas os sociais-democratas marcam assim uma posição de total distanciamento e nem apresentam propostas na especialidade para não se comprometerem.

Já na semana passada o DN adiantou que o PSD estava a preparar o voto contra o orçamento. Ao contrário do que aconteceu no primeiro orçamento de Centeno (o retificativo para resolver a situação do Banif) em que houve alguns focos de tensão entre os deputados devido à decisão da direção (que se absteve), desta vez a decisão está a ser pacificamente acolhida pelos deputados.

O Bloco de Esquerda e o PCP anunciaram ontem que votarão a favor da proposta. Somando-se estes votos ao do PEV, está garantida a aprovação.

O voto favorável, amanhã, na generalidade, indicia também que será esse, com grande grau de certeza, o sentido de voto quando a proposta for sujeita a votação final, dia 16 de março.

Discussão começa hoje. Acompanhe em direto no DN a partir das 15 horas

Exclusivos