PS quer propinas pagas a prestações em todo o ensino superior

Proposta legislativa visa alargar sistema a todas as universidades e permitir um mínimo de sete pagamentos

O PS apresentou um projeto-lei para que todas as universidades aceitem o pagamento das propinas a prestações em pelo menos sete mensalidades.

O modelo em vigor varia consoante as universidades e institutos politécnicos, alguns dos quais continuam a exigir o pagamento das propinas - cujo valor máximo é de 1063 euros - de uma só vez, informa esta terça-feira o Público.

No caso das instituições de ensino superior que permitem o pagamento faseado, os prazos variam entre as três e as noves prestações.

O projeto-lei do PS prevê uma outra alteração à Lei de de Bases de Financiamento do Ensino Superior, destinada aos estudantes beneficiários de bolsas de ação social.

O objetivo desta medida é condicionar o pagamento das propinas por parte desses alunos ao início efetivo da receção das bolsas.

Exclusivos