PS defende medidas para o turismo de saúde e científico

Deputados socialistas recomendam ao governo investimento público para que os dois novos sectores captem mais turismo para o país.

É pela mão do PS que hoje se discute no Parlamento o impacto do do turismo no crescimento económico. Dia em que bancada socialista aproveita para recomendar ao Governo o reforço de investimento público no sector, em particular nas áreas da saúde e da investigação cientifica.

"Apesar de todo o trabalho feito nesta área e dos resultados obtidos é possível ir mais além e tornar mais denso o sector do turismo", afirma ao DN o deputado socialista Carlos Pereira, um dos subscritores dos três projetos de resolução que vão ser debatidos em plenário. Os deputados socialistas querem a implementação de medidas que promovam o turismo de saúde, nas suas duas vertentes: turismo médico e de bem-estar (por exemplo, as termas) (ver pág. 20).

No projeto de resolução, justifica-se esta aposta com o facto de a realização de um tratamento especifico para a cura de uma doença já representar 20% do mercado de saúde e bem-estar. E aponta-se para uma duplicação das viagens com este propósito caso venha a apostar neste segmento de turismo.

Os deputados recordam que existem vários países a adotarem propostas concretas para cativar este tipo de turistas: preços competitivos para as práticas médicas, designadamente na cirurgia estética; bem como tornar as unidades de saúde em centros de referência internacional em certas especialidades. Os mercados potenciais para exploração deste tipo de turismo também estão identificados, no caso Espanha , Itália e França.

São, por isso, pedidas medidas que assegurem a colaboração multidisciplinar entre prestadores de cuidados médicos, sejam instituições públicas ou privadas, e os fornecedores de serviços turísticos (companhias de aviação, hotéis, agências de viagens, serviços de lazer).

O deputado Carlos Pereira admite que a aposta neste tipo de turismo possa gerar alguma desconfiança a nível interno dadas as dificuldades do Serviço Nacional de Saúde, sobretudo no que diz respeito aos tempos de espera para consultas e especialidades e até à falta de profissionais. Mas argumenta:"Com o turismo de saúde, e sempre tendo em conta as valências privadas, podemos tirar daqui mais valias e gerar maior riqueza para o próprio sector".

O segundo projeto de resolução visa a promoção do turismo científico, envolvendo os ministérios da Economia, Educação, da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior. "A observação empírica não deixa margem para dúvidas que é cada vez mais frequente que os investigadores científicos, estudantes, quadros de várias áreas, entre outros, se deslocam a outros países para realizar pesquisas para as suas dissertações de pós-graduações, mestrado, doutoramentos, pós-doutoramentos, anos sabáticos ou para participar em eventos científicos ou mesmo para investigar temas de variada ordem", argumentam os subscritores do projeto. Entre outras coisas, pedem que sejam criadas condições para o desenvolvimento de atividades baseadas em conhecimento. Carlos Pereira frisa que a grande diferença em relação ao anterior governo no que diz respeito ao turismo é que o PS entende é preciso investimento público para impulsionar ainda mais o sector.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG