Marcelo pede que se distingam reais preocupações de "formas de pressão"

Presidente da República reagiu às declaração do diretor-geral do Mecanismo Europeu de Estabilidade

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, defendeu hoje que se devem distinguir as verdadeiras preocupações sobre Portugal de "formas de pressão", nomeadamente internacionais, antes de decisões sobre as finanças do país.

"Cada um escolhe aquilo que o preocupa. Faz parte da natureza humana às vezes ter preocupações estranhas ou inesperadas. Mas temos de respeitar a preocupação de cada qual", disse o chefe de Estado, que falava aos jornalistas no Funchal, Madeira.

Marcelo foi questionado pelos jornalistas sobre declarações de hoje de Klaus Regling, presidente do Mecanismo Europeu de Estabilidade, que demonstrou preocupação pela situação financeira de Portugal.

O chefe de Estado lembrou que pode estar por dias a decisão europeia sobre eventuais sanções a Portugal por défice excessivo, e em vésperas de decisões desse género - "seja com este Governo ou com o anterior", do PSD e CDS-PP - é comum haver comentários sobre a situação portuguesa.

De todo o modo, Marcelo recomenda que os responsáveis políticos e económicos se preocupem "na altura devida" e "com aquilo que merece ser objeto de preocupação".

A página no Twitter do Mecanismo Europeu de Estabilidade regista a declaração de Regling que motivou a pergunta a Marcelo Rebelo de Sousa: "O único país que preocupa é Portugal, independentemente do 'Brexit', porque o Governo está a voltar atrás nas reformas", diz Klaus Regling.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG