Portugal entrega seis caças F-16 à Roménia no final do mês

Palco da cerimónia oficial vai ser a base aérea de Monte Real, que recebe hoje a visita do Presidente, Marcelo Rebelo de Sousa

Portugal entrega os primeiros seis caças F-16 vendidos à Roménia no final deste mês, numa cerimónia a realizar na base aérea de Monte Real, soube ontem o DN junto de fontes militares.

A Força Aérea - que recebe hoje o Presidente da República e Comandante Supremo das Forças Armadas naquela base do distrito de Leiria - entregará mais três das 12 aeronaves no final deste ano, ficando as últimas três para 2017, adiantaram as fontes.

Fonte oficial da Força Aérea garantiu ao DN não haver uma data marcada para aquele efeito, limitando-se a assinalar que o calendário previsto no programa de venda dos caças - o contrato foi assinado em 2013 - prevê a entrega dos primeiros F-16 no início do outono.

Note-se que nove dos 12 F-16 (dos quais três são bi-lugares) que foram adquiridos pela Roménia - a fim de substituírem a frota dos caças de origem soviética Mig-21 - pertenciam à Força Aérea portuguesa. Os restantes três envolveram um acordo tripartido com os Estados Unidos, cuja legislação interna dificulta a venda direta de equipamento militar aos países do extinto Pacto de Varsóvia.

Lisboa, que comprou esses três caças a Washington, ficou encarregue de os revender depois de os transformar e modernizar em função do interesse romeno - um modelo que poderá vir a ser replicado com a Bulgária, outro antigo país de Leste que já manifestou interesse em adquirir também caças F-16, depois de concluído o processo com Bucareste em setembro do próximo ano.

O contrato de alienação dos F-16 envolveu ainda a formação pela Força Aérea de dezenas de pilotos, engenheiros e mecânicos na base de Monte Real - o que até obrigou a adquirir seis carrinhas para transportar os militares romenos.

O negócio, que envolveu o encaixe direto por Portugal de 78 milhões de euros num total aproximado de 180 milhões de euros, implicou também a ida de militares portugueses para a Roménia, a fim de prepararem e adaptarem as respetivas infraestruturas aeronáuticas militares.

Fim da missão na Lituânia

A Força Aérea anunciou ontem que a missão de policiamento aéreo dos Bálticos nos últimos quatro meses envolveu um total aproximado de 300 militares destacados na base aérea lituana de Siauliai.

Portugal voltou a liderar pela terceira vez essa missão da NATO, depois das realizadas em 2007 (em pleno inverno) e em 2014, que agora integrava meios aéreos do Reino Unido a operar a partir da Estónia.

A missão terminou a 31 de agosto e a cerimónia de receção dessa Força Nacional Destacada vai ter lugar hoje na base aérea de Monte Real, com a presença do Chefe do Estado, Marcelo Rebelo de Sousa.

Recorde-se que é na base de Monte Real que estão as duas esquadras de caças F-16 que garantem a defesa aérea do país, assim como as oficinas que permitem realizar várias das operações de manutenção das aeronaves.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG