Pizarro retifica palavras da número dois do PS

Vereador socialista compreende indignação contra palavras de Ana Catarina Mendes, que disse que vitória de Moreira será vitória do PS

A relação entre Rui Moreira e o PS parece ter atingido o ponto mais crítico desde que os socialistas formalizaram o apoio à recandidatura independente do atual presidente da Câmara Municipal do Porto (CMP). As declarações da secretária-geral adjunta do PS ao Observador, onde deu a entender que uma vitória de Moreira será uma vitória do PS, terão caído mal no movimento independente "Porto, o Nosso Partido", que está reunida hoje à noite para analisar as palavras de Ana Catarina Mendes. E a reavaliação do apoio socialista estará mesmo em cima da mesa, segundo o Expresso. Ao DN, Manuel Pizarro, vereador na CMP e líder do PS Porto, mostra-se compreensivo com a indignação moreirista.

"Percebo que quem lidera um movimento genuinamente independente não queira aceitar que um partido se aproprie do seu resultado", afirma. Sublinhando que Ana Catarina Mendes já fez publicamente uma "interpretação legítima" das suas próprias palavras, Pizarro realça ao DN que uma vitória de Rui Moreira "será do próprio Rui Moreira e do Porto, não podendo o PS reivindicá-la para si".

Em entrevista concedida ontem ao Observador, e quando questionada se o partido vai contabilizar os votos em Rui Moreira como votos no PS, Ana Catarina Mendes declarou que "na noite eleitoral todas as vitórias dos candidatos do PS e das listas que o PS integra serão vitórias do PS". Já hoje, em declarações à Lusa, a secretária-geral adjunta socialista admitiu que as suas palavras possam ter sido mal interpretadas, salientando agora que, "evidentemente", uma vitória da lista de Rui Moreira será sempre um triunfo do atual presidente da Câmara Municipal do Porto, mas que será também festejado pelos militantes socialistas portuenses.

A secretária-geral adjunta do PS afirmou que a decisão dos socialistas portuenses de apoiarem a recandidatura autárquica do independente Rui Moreira "é irreversível", procurando também desta forma colocar um ponto final na contestação interna a essa solução.

Fontes do PS do Porto contextualizam esta polémica num conflito interno dentro do moreirismo. Enquanto o próprio Rui Moreira defende o acordo com o PS, muito por causa da relação que desenvolveu com Manuel Pizarro, outros na sua entourage opõe-se-lhe. Depois da reunião de hoje à noite, confirmada pelo assessor de Rui Moreira, o presidente da Câmara do Porto irá esclarecer o caso amanhã à tarde.

"No job for the boys"

Este é a segunda situação de crispação em menos de um mês entre o movimento independente e o PS, os dois casos a envolver declarações de Ana Catarina Mendes. Em Abril, a candidatura de Rui Moreira veio a público avisar os partidos que o apoiam - onde se inclui também o CDS - de que não há jobs for the boys nas suas listas. Um recado que surgiu dias depois de Ana Catarina Mendes, secretária-geral-adjunta do PS, ter afirmado, em entrevista ao Expresso, que o PS terá uma "representação forte" nas listas de Rui Moreira.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG