PCP quer mais investimento científico nas pescas

Líder parlamentar dos comunistas e o eurodeputado João Ferreira visitaram esta manhã a Docapesca de Sines

"Investimento nos meios científicos" para "conhecer os recursos" da pesca. Esta foi a exigência que João Oliveira, líder parlamentar do PCP, deixou depois de uma visita à Docapesca de Sines onde se encontrou tanto com pescadores como com a administração.

O problema - explicaria depois o eurodeputado do partido João Ferreira - é que atualmente essa medição dos recursos não se faz em Portugal, ficando portanto o país e o setor da pesca sujeito aos ditames científicos de instituições internacionais que têm, por norma, atitudes conservadoras.

O eurodeputado recordou, neste contexto, que a UE tem "competência exclusiva" na gestão dos recursos piscatórios, retirando isso qualquer margem de autonomia às autoridades nacionais. Além do mais, "o setor não tem sido bem defendido" em Bruxelas, nem pelos governos nem por muitos eurodeputados portugueses sintonizados com esses governos.

Além do mais, acrescentaria João Oliveira, é preciso desencadear "medidas de valorização" de algumas espécies, como já aconteceu com a cavala (a campanha lançada fez aumentar o preço médio desta espécie), podendo agora fazer-se o mesmo em relação ao carapau.

E por outro lado que haja uma intervenção estatal no mercado de forma a diminuir as margens da intermediação - "o preço de compra ao pescador é muito baixo mas depois é muito elevado aos consumidores".

O PCP, pelo seu lado, vai, como disse João Ferreira, "fazendo os possíveis para minorar os prejuízos", e já conseguiu, por exemplo, que haja apoios aos pescadores quando estes são obrigados a parar por via de necessidades biológicas de preservação dos recursos.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG