Passos: "PSD tem muitas pessoas que poderiam ser bons presidentes do partido"

Presidente e candidato a líder diz que partido não é uma dinastia e acusa Costa de populismo e de ter 100 dias de governo de "passado"

O líder do PSD disse esta tarde, após votar para as eleições diretas nas qual é o único candidato, que apesar de não ter adversários para a liderança do partido "o PSD tem muitas pessoas que poderiam candidatar-se à liderança do PSD e que poderiam ser bons presidentes do PSD."

Passos vai hoje ser eleito para um mandato de mais dois anos, mas não deixou de falar da sua sucessão, dizendo que não é "invejoso" nem está "preocupado com quem há-de vir a seguir a mim, porque isto não é uma dinastia".

O futuro político de Passos joga-se no sucesso do executivo de António Costa, que o presidente do PSD acusou de ser "populista" e para quem dirigiu todas as farpas. Para Passos Coelho "está hoje muito evidente para as pessoas que existem dois projetos políticos que têm vindo a confrontar-se". Quanto ao projeto "que é liderado pelo atual governo, é um projeto muito centrado no dia-a-dia, no facilitismo, no imediatismo, às vezes no populismo, infelizmente." O presidente social-democrata acrescentou ainda que "[o governo] que hoje completa 100 dias é um projeto a pensar no passado, na reversão, no andar para trás, nas preocupações mais de natureza imediata."

Já o projeto do PSD, no entender do líder é "reformista, estratégico a pensar o futuro do país e não apenas no dia-a-dia, no ano corrente". Passos tem a ambição de voltar ao poder para "fazer um profunda reforma do Estado, que liberte a nossa economia."

Passos, que em 2014 foi eleito com 88% dos votos, diz que desta vez não fixou "nenhuma meta, nenhuma fasquia interna" e diz esperar que "apesar de não haver outras candidaturas as pessoas se mobilizem". Garante ainda que no último mês de campanha para as diretas constatou que "as pessoas não estão alheadas da eleição, nem daquilo que ela pode representar neste novo ciclo de vida do PSD, que o PSD é o maior partido da oposição e de quem se espera um grande sentido de responsabilidade por um lado, mas também uma fidelidade muito grande ao seu projeto e às suas convicções."

Passos fará hoje o discurso de vitória às 23h00 na sede do PSD, na rua de São Caetano à Lapa.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG