Passos diz que maioria parlamentar só funciona quando "há boas notícias"

Líder do PSD diz que a política "não deve ser um concurso de simpatia"

O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, acusa o governo de estar a "fabricar ilusões" e de assentar numa maioria parlamentar (com BE, PCP e PEV) que só funciona quando "há boas notícias". "O governo só tem estabilidade política enquanto tiver boas notícias e dinheiro para distribuir. Quando há dificuldades, a maioria não funciona", afirmou o líder social-democrata, que discursava na Azambuja, distrito de Lisboa, na noite de ontem, durante a apresentação do candidato do PSD às eleições autárquicas no município.

Passos Coelho argumenta que o governo liderado por António Costa quer "agradar a todos" ao mesmo tempo que vai "fabricando ilusões": "Ainda hoje ficou claro que a redução do défice ficou a desejar. Só acontece com recurso a medidas extraordinárias e que não são sustentáveis".

Passos acusou também o governo de estar a desinvestir na Saúde e na Educação, numa altura em que "supostamente deveria haver mais dinheiro para investir". "Na política de Saúde, o investimento caiu quase 30% e no ensino básico e secundário 68,9%. Então agora há dinheiro e as escolas não podem funcionar? A política não deve ser um concurso de simpatia, mas sim algo sério", sublinhou Passos Coelho, concluindo que o "PS não quer chegar a consensos com o PSD porque está a desfazer tudo o que o anterior governo fez".

Exclusivos