Parlamento aprova reposição gradual dos cortes salariais no próximo ano

Em cima da hora da votação e após um debate tenso, PCP anunciou que votaria ao lado da restante esquerda (e do PAN)

PS, Bloco de Esquerda, PCP, PEV e PAN aprovaram esta sexta-feira, no Parlamento, em votação final global, a reposição faseada da totalidade dos cortes salariais no setor público até ao início do quarto trimestre de 2016.

Após um curto debate em plenário, mas marcado por elevada tensão entre esquerda e direita parlamentar, PSD e CDS-PP votaram contra (tanto na generalidade, como na especialidade e em votação final global) o diploma dos socialistas para a reposição dos cortes salariais ao longo de 2016.

Na mesma série de votações neste ponto da ordem de trabalhos, PSD, PS e CDS chumbaram um diploma alternativo apresentado pelo PCP, que previa a reposição integral dos cortes salariais no mês seguinte à aprovação do Orçamento do Estado para 2016 - diploma que teve o apoio d'"Os Verdes", mas que registou as abstenções do BE e PAN (Pessoas-Animais-Natureza).

De resto, o grupo parlamentar comunista só anunciou pouco antes da votação que se iria juntar à restante esquerda, mesmo perante o chumbo da sua própria iniciativa.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG