ONU: Guterres aumenta diferença para o segundo mais votado

António Guterres voltou a vencer a segunda votação informal para secretário-geral das Nações Unidas

O português António Guterres aumentou esta sexta-feira, de um para três votos positivos, a distância face ao segundo candidato mais votado na eleição para secretário-geral da ONU.

Face aos dados não oficiais já conhecidos, porque a votação no Conselho de Segurança é secreta, António Guterres voltou a vencer mas perdeu um voto positivo face à contagem de julho e recebeu agora dois votos contra (contra nenhum antes).

Fica por saber se algum dos dois votos de "desencorajamento" agora recebidos por Guterres foi dado por um dos cinco membros permanentes do Conselho de Segurança. Isso foi admitido por fontes locais citadas pela Inner City Press e que falam na hipótese do candidato português poder ser secretário-geral adjunto.

Em julho, o segundo candidato, Danilo Turk, teve 11 votos positivos (menos um que Guterres).

Agora foi o sérvio Vuk Jeremic (quarto na contagem de julho) a ficar em segundo e com oito votos positivos, também menos um do que antes.

A ministra dos Negócios Estrangeiros argentina, que foi oitava na primeira contagem, ficou agora em terceiro lugar. Susana Malcorra, de quem se diz ter o apoio dos EUA, recebeu agora oito votos positivos (sete em julho), seis negativos (quatro em julho) e um neutro (quatro).

Esta eleição "é uma maratona", assinalou uma fonte diplomática ouvida pelo DN, sublinhando que "o processo "não é para fechar já".

"Tal como no passado, só fechará em setembro ou outubro", adiantou a mesma fonte.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG