Costa diz que Arnaut será recordado "para sempre" como "pai" do SNS

António Arnaut morreu aos 82 anos. Secretário-geral do PS diz que o partido "está de luto"

O secretário-geral do PS, António Costa, considerou esta segunda-feira que o fundador do partido António Arnaut será recordado para a "eternidade" como "o pai" do Serviço Nacional de Saúde (SNS), resistente à ditadura e militante socialista "honrado".

Estas posições foram transmitidas por António Costa à agência Lusa, depois de ter decretado luto partidário, com a bandeira socialista e meia haste em todas as sedes deste partido.

O antigo ministro dos Assuntos Sociais António Arnaut, fundador do Serviço Nacional de Saúde e presidente honorário do PS, morreu hoje em Coimbra, aos 82 anos.

António Arnaut, advogado, nasceu na Cumeeira, concelho de Penela, distrito de Coimbra, em 28 de janeiro de 1936, e estava internado nos hospitais da Universidade de Coimbra.

"O PS está de luto com o falecimento de António Arnaut, nosso presidente honorário. Fundador do PS, militante dedicado, honrou-nos como deputado à Assembleia Constituinte e à Assembleia da República e como governante", referiu António Costa, aqui numa primeira alusão às funções que este destacado advogado de Penela desempenhou como ministro dos Assuntos Sociais no II Governo Constitucional liderado por Mário Soares.

De acordo com António Costa, "para sempre" o nome de António Arnaut "será indissociável da conceção e criação do Serviço Nacional de Saúde, grande conquista do Portugal de Abril".

"Para a eternidade todos o recordaremos justamente como o pai do SNS. À sua esposa, filhos e netos envio um abraço fraterno", acrescenta o líder socialista na sua nota.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG