O professor "que nunca dorme" está nos jornais estrangeiros

Veja como a imprensa internacional noticiou a eleição do Presidente da República de Portugal

"Professor Marcelo, o português que nunca dorme" - é este o título do jornal espanhol El Mundo ao apresentar o novo Presidente da República português. Jornais internacionais salientam vitória do "conservador" e "moderado" para exercer um cargo que dizem ser quase "cerimonial".

"Marcelo Rebelo de Sousa venceu as eleições presidenciais de Portugal com 52% dos votos. O social-democrata partiu como favorito e a grande dúvida ao longo desta jornada eleitoral foi saber se conseguiria ser eleito à primeira volta", lê-se na edição 'online' deste jornal.

O El Pais intitula "Portugal elege presidente o conservador Rebelo de Sousa. "O professor-comunicador obteve 52% dos votos, com os quais não necessita de uma segunda volta".

O jornalista Javier Martín tinha feito há dias neste jornal uma entrevista a Marcelo Rebelo de Sousa, na qual ele já tinha dado pistas sobre a sua atuação no cargo: "O presidente é o árbitro e não marca golos". Agora, num pequeno perfil do Presidente, o jornal analisa "o fenómeno" de popularidade, sublinhando a sua atuação na área dos media, quer na fundação do Expresso, quer depois como comentador na TSF e na TVI: "Os seus comentário na TVI eram dos mais críticos com o primeiro-ministro e líder do partido, Passos Coelho". E, durante a campanha, em vez de fazer promessas mais próprias de um primeiro-ministro, "Rebelo de Sousa passeava pelas ruas, falava com as pessoas e abraçava-as: As pessoas têm falta de carinho", assegura."

Rebelo de Sousa passeava pelas ruas, falava com as pessoas e abraçava-as

A edição 'online' do francês Le Monde escreve: "O conservador Marcelo Rebelo de Sousa eleito presidente à primeira volta".

"O professor de direito de 67 anos, popular ao nível político e enquanto comentador-vedeta da televisão, foi o grande favorito deste escrutínio", vencendo "o independente de esquerda António Sampaio da Nóvoa (...) e a socialista e antiga ministra da Saúde Maria de Belém Roseira. A única dúvida era se conseguia ser eleito à primeira volta", escreve o Le Monde.

A BBC escreve, no seu 'site', que "O candidato de centro-direita Sousa venceu as eleições presidenciais em Portugal". "Sousa garantiu que será um presidente independente e afirmou que deseja restaurar a unidade nacional no país", escreve a BBC.

O inglês The Guardian noticia a eleição de Marcelo Rebelo de Sousa, sublinhando que "o seu rival mais próximo teve menos de metade" dos seus votos. "Rebelo de Sousa é um moderado assumido que diz que não vai abalar o barco", escreve o jornal.

A edição 'online' da Euronews destaca a eleição de Marcelo Rebelo de Sousa "à primeira volta". E explica que "o cargo de presidente é principalmente cerimonial, mas o chefe de Estado pode dissolver o parlamento. Uma coligação instável de esquerda governa atualmente Portugal".

Esta eleição também é notícia no Washington Post, em cuja edição eletrónica se lê que o candidato de centro-direita obteve uma expressiva vitória nas eleições presidenciais em Portugal, obtendo mais de metade dos votos, contra os nove rivais.

"Com 98% dos votos contados, Marcelo Rebelo de Sousa, um político veterano e professor de direito, obteve 52,4% [resultado final foi de 52%] dos votos, que lhe vai permitir exercer um cargo essencialmente cerimonial", escreve o jornal.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG