O estado de uma nação de esquerda que rejeita a austeridade

O primeiro-ministro, António Costa, começou a fazer um balanço dos primeiros sete meses, concluindo que obteve êxito: "Cumprimos"

O primeiro debate do Estado da Nação de António Costa foi inteiramente marcado pelo tema da aplicação de sanções a Portugal. O primeiro-ministro começou a prestar contas no Parlamento na mesma altura em que a Comissão Europeia comunicava a sua decisão sobre a possibilidade de sancionar Portugal, no âmbito do Procedimento por Défices Excessivos.

Um debate onde a esquerda procurou realçar as reversões feitas pelo governo de Costa com apoio de Bloco, PCP e PEV. Já a direita fez um retrato bem negativo dos resultados da política económica do atual executivo. O estado da geringonça, Caixa geral de Depósitos, Brexit e referendo em Portugal (proposta do BE) foram os outros temas, além das sanções, debatidos, durante quase quatro horas.

Na última intervenção deste debate sobre o Estado da Nação, Augusto Santos Silva, ministro dos Negócios Estrangeiros sintetizou o ataque da esquerda à direita, nomeadamente ao PSD: "A liderança do PSD está enganada se julga que vai ganhar com isso um grão a mais de credibilidade" com essa estratégia.

Leia o filme do debate.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG