Nóvoa: "A democracia não é uma coutada para a caça aos votos"

Candidato defende que a democracia é "um espaço para ouvir as pessoas e debater ideias". Jantar em Faro com 500 pessoas

Sampaio da Nóvoa recusou esta quarta-feira à noite que a democracia seja "uma coutada" de alguns "para a caça aos votos". Num jantar-comício em Faro, que reuniu cerca de 500 pessoas, o candidato notou que "há quem veja a democracia como uma coutada para a caça aos votos", para contrapor que ele vê "a democracia como um espaço para ouvir as pessoas e debater ideias"

Para Nóvoa, "todos contam porque somos uma República e todos contam porque todos, de Caminha a Olhão, temos que ter as mesmas oportunidades". "Todos contam porque é assim a democracia. A democracia, esse sistema onde não se caçam votos, mas onde, continuo a acreditar, há posições diferentes que se devem expor numa campanha."

Num dia que passou por Beja, Aljustrel, Lagos, Portimão, antes do jantar de Faro, e onde o antigo reitor da Universidade de Lisboa defendeu várias vezes a Constituição da República como o seu programa, Nóvoa voltou a defender ao jantar que a Lei Fundamental, que "celebra 40 anos daqui a poucas semanas", "é a causa primeira e última de um Presidente da República". E justificou: "O documento que nasceu daquela manhã clara e limpa continua a moldar o nosso dia-a-dia."

Ao quinto dia, a campanha prosseguirá esta quinta-feira nos distritos de Santarém e Leiria.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG