Montenegro ataca PS "rendido a Louçã" e aponta a "maioria absoluta"

Líder parlamentar diz que a figura do congresso são os militantes e não o "egocentrismo de ninguém"

O líder parlamentar do PSD, Luís Montenegro, voltou hoje a pedir ao PSD para se "mobilizar para conseguir uma maioria absoluta na Assembleia da República", que permita ao partido assumir um novo ciclo governativa. Na intervenção no palco do 36º Congresso do PSD, que decorre em Espinho, lembrou que um PS "seduzido e rendido à doutrina do dr.Louçã, quis casar-se com o PCP e o Bloco de Esquerda e com isso salvou o seu líder".

Luís Montenegro acredita que o PSD pode vencer as próximas eleições com maioria, face a um PS "cada vez menos reformista e cada mais retrógrado e populista".

Voltando a responder a Paulo Rangel, que acusou o PSD de não estar a fazer uma oposição suficientemente agressiva, Montenegro criticou o "zunzum de que não temos sido suficientemente fortes na oposição". Isto porque, defende o líder da bancada, o PSD tem de ser "uma oposição responsável e afirmação de uma alternativa política forte e mobilizadora" e não "excessivamente agressiva ou histriónica".

Sem apontar a quem se referia, mas naquilo que pode ser uma farpa aos críticos de Passos, Montenegro afirmou que "a figura central deste congresso somos todos, não o egocentrismo de ninguém". Foi o ex-autarca do Porto, Rui Rio que afirmou não ter vindo ao congresso para não ser figura central da reunião magna social-democrata.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG