Ministro da Defesa tem luz verde para visitar Angola na próxima semana

O congelamento das relações diplomática entre Portugal e Angola, decretado pelo presidente João Lourenço por causa da operação Fizz, poderá estar a aliviar

O ministro da Defesa, Azeredo Lopes, poderá visitar Angola a partir do final da próxima semana, adiantaram ao DN fontes militares, confirmando a notícia avançada esta tarde pelo Público, dando conta dessa viagem. Oficialmente o gabinete de Azeredo Lopes não quis comentar, mas é sabido nos gabinetes da Defesa e dos Negócios Estrangeiros que esta deslocação está a ser preparada há algum tempo e conta já com luz verde de Luanda.

A reserva com a sua confirmação oficial está a ser atribuída ao "melindre" da relação diplomática atual com Angola, cujo presidente, João Lourenço, decretou o congelamento das visitas de alto nível entre os dois países, em retaliação ao processo Fizz, que envolve o ex-vice-presidente e que Luanda queria que fosse ali julgado. Recorde-se ainda que uma visita da ministra da Justiça. Francisca van Dunem, foi cancelada por Angola à última da hora e agora Portugal não quer ver esse cenário repetido.

O DN apurou que a agenda desta viagem está focada na cooperação técnico-militar que Portugal mantém com o conjunto de Estados da CPLP (Comunidade de Países de Língua Oficial Portuguesa). Neste âmbito, Azeredo Lopes já visitou também S.Tomé e Príncipe e Moçambique. Em S.Tomé foi assinado o novo Programa-Quadro de Cooperação na área da Defesa para o período 2018-2020. O Ministro visitou, na ocasião, o navio patrulha " Zaire" da marinha de guerra de Portugal que está destacado em São Tomé e Príncipe para assegurar a fiscalização do mar territorial do país. A fragata Álvares Cabral, por seu turno, realizou ações de formação e treino nas áreas do combate a incêndios e alagamentos, mecânica, proteção de um navio num porto, abordagem a navio suspeitos, mergulho de combate e ações de desembarque anfíbio com as Forças Armadas de São Tomé.

Em Moçambique, foi também assinad um novo programa-estratégico, a vigorar até 2021. Na sua visita, Azeredo Lopes esteve no centro de Análise Estratégica da CPLP na sede da Associação de Deficientes das Forças Armadas Portuguesas, Maputo. Visitou também a Academia Militar, em Nampula, e deu uma palestra sobre ""O contributo das Forças Armadas portuguesas para a promoção da paz e segurança internacional".

A agenda de Angola "ainda não está fechada", mas fontes que estão a acompanhar o processo garantem que um encontro entre Azeredo Lopes e o seu homólogo angolano, Salvino de Jesus Sequeira, está confirmado. Recorde-se que esta pasta era antes ocupada pelo atual presidente João Lourenço, que conhece bem os dossiês.

Como tem acontecido nas outras visitas no âmbito da cooperação técnico-militar, os chefes dos ramos serão convidados a acompanhar o ministro e o Chefe de Estado-Maior-General das Forças Armadas, Silva Ribeiro, fará parte da comitiva.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG