Medicina destronada do topo das notas mais altas. Veja as listas completas

Pela primeira vez, em muitos anos de concursos de acesso, as médias mais altas são de cursos de engenharia do Técnico

A tradição diz que a "competição" particular para se saber qual é o curso com nota do último mais colocado mais elevada é disputada exclusivamente entre as ofertas de Medicina, com a Universidade do Porto a superiorizar-se às concorrentes nos últimos anos. Mas desta vez o protagonismo vai para as engenharias do Instituto Superior Técnico, da Universidade de Lisboa.

De acordo com as listas de colocados da 1.ª fase de acesso ao ensino superior, os cursos de Engenharia Aeroespacial e de Engenharia Física e Tecnológica, desta instituição, repartem o primeiro lugar desta tabela, com uma média de 18,52 valores.

Veja a lista completa de colocados

A Universidade do Porto inscreve um dos seus cursos no terceiro lugar mas, curiosamente, não é o de Medicina. A distinção cabe à Engenharia de Gestão Industrial.

O curso de Medicina desta universidade é, no entanto, o melhor dessa área e o quarto melhor a nível de exigência no acesso, com a média de 18,40 valores. E é também da mesma instituição, através do Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar, o segundo melhor curso de Medicina e o quinto melhor da tabela global.

Descarregue a lista de colocados (ficheiro Excel)

Neste ranking da exigência, a Universidade do porto continua a ser a força dominante com a sexta posição do curso de Bioengenharia, cuja média do último colocado foi de 18,2 valores.

Entre os 10 primeiros, apenas o curso de Medicina da Universidade do Minho (18,17 valores), no oitavo lugar, e Medicina da Universidade de Coimbra (17,98), no décimo, contrariam a hegemonia das universidades de Lisboa e do Porto.

De referir que, no extremo oposto da tabela, quase 40 cursos permitiram entrada com médias inferiores a 10 valores (o mínimo aceite é a média de 9,5). Houve ainda várias dezenas de cursos que não colocaram qualquer candidato ou não chegaram ao mínimo para abrir uma turma.

Exclusivos

Premium

Nuno Severiano Teixeira

"O soldado Milhões é um símbolo da capacidade heroica" portuguesa

Entrevista a Nuno Severiano Teixeira, professor catedrático na Universidade Nova de Lisboa e antigo ministro da Defesa. O autor de The Portuguese at War, um livro agora editado exclusivamente em Inglaterra a pedido da Sussex Academic Press, fala da história militar do país e da evolução tremenda das nossas Forças Armadas desde a chegada da democracia.

Premium

Maria Antónia de Almeida Santos

Dos pobres também reza a história

Já era tempo de a humanidade começar a atuar sem ideias preconcebidas sobre como erradicar a pobreza. A atribuição do Prémio Nobel da Economia esta semana a Esther Duflo, ao seu marido Abhijit Vinaayak Banerjee e a Michael Kremer, pela sua abordagem para reduzir a pobreza global, parece indicar que estamos finalmente nesse caminho. Logo à partida, esta escolha reforça a noção de que a pobreza é mesmo um problema global e que deve ser assumido como tal. Em seguida, ilustra a validade do experimentalismo na abordagem que se quer cada vez mais científica às questões económico-sociais. Por último, pela análise que os laureados têm feito de questões específicas e precisas, temos a demonstração da importância das políticas económico-financeiras orientadas para as pessoas.