Maria Cavaco Silva destaca " mais-valia" das mulheres

A mulher do Presidente da República, Maria Cavaco Silva, destacou hoje a "mais-valia" das mulheres nas forças de segurança, considerando que "em determinadas circunstâncias" é melhor que sejam elas a avançar.

"A entrada de mulheres nas forças de segurança foi uma mais-valia em determinados aspetos. Há determinadas circunstâncias em que é melhor ser uma mulher avançar do que um homem", disse aos jornalistas Maria Cavaco Silva, que esteve presente na inauguração da exposição "Os polícias de saia e salto", iniciativa da PSP, que celebra 144 anos, para homenagear as mulheres da corporação.

Para Maria Cavaco Silva, "as mulheres vêm de uma certa maneira complementar o papel das forças de segurança".

A contactar com mulheres-polícia há já alguns anos, desde o tempo em que o marido era primeiro-ministro, Maria Cavaco Silva disse ainda que "se as mulheres quiseram entrar nas forças de segurança é porque sentiram que poderiam ter um papel diferente"

Para homenagear a presença das "senhoras" na Polícia de Segurança Pública (PSP), esta força policial inaugurou hoje a exposição "Os polícias de saia e salto alto", que vai estar num camião no Parque das Nações, junto ao Pavilhão de Portugal, até 17 de julho.

O camião vai depois levar esta exposição itinerante a todo país, quando se assinalarem os dias dos comandos distritais.

As mulheres na PSP ocupam actualmente 10 por cento do efectivo. As 2.189 mulheres são agentes, chefes e oficiais de polícia.

As primeiras mulheres chegaram à PSP em 1930, sendo na altura apenas 10 e tinham funções de cariz social. A primeira incorporação de mulheres aconteceu em 1972, quando entraram para a PSP 273 e as suas funções alargaram-se ao trânsito.

O porta-voz da PSP, Paulo Flor, afirmou que a Polícia foi "pioneira" na incorporação de mulheres, sendo por isso importante passar para a sociedade civil a informação que existe uma força de segurança em Portugal que desde 1930 recebe mulheres.

"Somos uma das forças de segurança da Europa e do Mundo que há mais anos tem mulheres na sua corporação. Mulheres de facto, com os mesmos direitos e deveres", adiantou, exemplificando que a PSP recebeu, nos anos 1940, delegações brasileiras, que na altura estavam a pensar introduzir mulheres na polícia civil e militar.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG