Marcelo no cavaquistão: "Não há dois Presidentes iguais"

Marcelo promete ser mais "informal e "próximo" e marca as diferenças face a Cavaco pela segunda vez em três dias

No fim de um dia inteiro passado no cavaquistão, Marcelo Rebelo de Sousa marcou diferenças para... Cavaco. "Sou assim. Sempre fui assim. E, enquanto Presidente da República, serei sempre assim". Foi desta forma que Marcelo prometeu esta tarde, em Viseu, que - se for eleito Presidente - terá um "estilo mais informal, mais coloquial e mais próximo" do que Cavaco Silva, pois o "tempo é diferente". Pela segunda vez em três dias, o candidato marcou as diferenças para o atual Presidente.

Numa sessão pública que encerrou o dia em Viseu, Marcelo destaca que "não há dois Presidentes iguais", voltando - como tinha feito há três dias na aula que deu a alunos do secundário - a marcar a diferença de estilo face ao atual Presidente da República.

Confiante de que será eleito Presidente, Marcelo encheu o peito para dizer que "o estilo da campanha é o estilo da próxima presidência de Portugal". Defende, no entanto, que terá uma "magistratura humilde e próxima", que "não afaste um país de outro país" e que "não seja excludente". Marcelo prometeu ainda ser um presidente "moderado". "Isso é muito centro? Muito moderado? Eu sou um moderado e acho que o país precisa de moderação."

Marcelo falou ainda dos poderes presidenciais, defendendo que o "Presidente da República não precisa de mais poderes. Nem de menos". Ou seja: a Constituição não deve, neste ponto, ser alterada.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG