Marcelo contorna 'grandolada' independentista catalã

Presidente da República diz que ficou "emocionado" por ouvir a canção de Zeca Afonso, para si um "símbolo da democracia

O Presidente da República explicou esta terça-feira que acompanhou os deputados independentistas catalães quando lhe cantaram no Parlamento espanhol a "Grândola Vila Morena" porque considera a canção "um dos símbolos da democracia" portuguesa.

"Para o Presidente da República não há democracia sem 25 de Abril e a 'Grândola' é um símbolo da democracia", afirmou Marcelo Rebelo de Sousa esta noite aos jornalistas, em Madrid, no final do seu segundo dia de visita de Estado a Espanha. "Não podia deixar de me emocionar quando ouvi cantarem aquela canção", disse - desligando desta forma o ato dos deputados face à luta catalã pela independência que protagonizam (e que não comenta por ser um "assunto interno" de Espanha).

Na Assembleia da República isto nunca aconteceu...

Marcelo afirmou igualmente ter ficado "emocionado" com o facto de ter sido por duas vezes aplaudido de pé e por unanimidade pelos parlamentares espanhóis, esta tarde, na sua deslocação ao Congresso dos Deputados para uma sessão extraordinária das Cortes Gerais (a instituição que junta as duas câmaras parlamentares). Neste contexto, deixou aliás um ligeiro queixume em relação ao Parlamento português: "Devo dizer que na Assembleia da República isto nunca aconteceu..."

Após uma receção aos reis de Espanha no Palácio do Pardo - o seu alojamento oficial por estes dias -, Marcelo Rebelo de Sousa decidiu fazer aos jornalistas o seu balanço da visita a Espanha (que começou segunda-feira e termina amanhã em Salamanca).

Segundo disse, Portugal e Espanha atravessam um "momento excelente" nas suas relações, pelo que o seu balanço é "muito positivo". Para a excelência das relações tem contado, segundo garantiu, o facto de entre ele e o seu homólogo espanhol, o rei Filipe VI, existir uma "grande proximidade pessoal".

Ainda neste contexto, o Presidente recordou que este ano haverá uma cimeira entre os governos dos dois países e ainda uma outra a que se juntará a França para discutir interconexões do espaço energético europeu com o resto da Europa. A unidade ibérica, disse ainda, é uma "mais valia" para os dois países na UE, no espaço ibero-americano e no espaço lusófono.

Em Madrid

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG