Marcelo acredita que processo de paz na Colômbia pode "chegar a bom porto"

O Presidente aproveitou o encontro com o homólogo colombiano para o convidar a visitar Portugal

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, afirmou esta sexta-feira acreditar que é possível o processo de paz na Colômbia "chegar a bom porto", após ter estado reunido com o seu homólogo colombiano, Juan Manuel Santos.

Os dois presidentes reuniram-se durante cerca de 20 minutos na Casa do Marquês de Valdehoyos, uma mansão colonial no centro histórico de Cartagena, antes da sessão de abertura da 25.ª Cimeira Ibero-Americana de chefes de Estado e de Governo.

No final do encontro, Marcelo Rebelo de Sousa disse aos jornalistas que, relativamente ao processo de paz entre o Governo colombiano e as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC), "o próprio Presidente conhecia e agradecia a posição constante de Portugal apoiante desse processo".

E considerou que a realização desta Cimeira Ibero-Americana na Colômbia "é uma boa coincidência", porque permitirá, "com vozes diferentes e com experiências diferentes, todos contribuírem para mostrar a ajuda, o apoio a um processo de paz que é fundamental para a Colômbia, mas é também fundamental para a região e para o mundo".

Questionado se Juan Manuel Santos lhe deu conta do ponto em que se encontra esse processo de paz, o Presidente da República respondeu: "Sim, sim, mas como imaginam não vou propriamente entrar nesses pormenores".

Contudo, acrescentou que, no seu entender, "não só é possível, como é desejável" que as negociações tenham sucesso.

"Primeiro, existe, de um lado, a política, por outro lado, a diplomacia, a paciência, a imaginação. Com tudo isso somado da parte de todos os envolvidos, é possível chegar a bom porto", defendeu. "Nós acreditamos que sim e esperamos que sim", reforçou.

O chefe de Estado não quis expor a sua análise do processo. Seria "entrar na política interna colombiana", argumentou, acrescentando: "Por muito prazer que me desse do ponto de vista jurídico-político, até como professor de direito, entrar nesses comentários, de facto, não tem sentido".

Marcelo Rebelo de Sousa aproveitou a reunião com Juan Manuel Santos e convidou-o a visitar Portugal.

"Tive a oportunidade de o convidar a ir a Portugal, e aceitou. Ficou agora de se fixar exatamente a data. Correu muito, muito bem porque há relações bilaterais excecionais entre Portugal e a Colômbia", declarou o chefe de Estado aos jornalistas, no final do encontro, enquanto seguia a pé para um restaurante a alguns quarteirões de distância.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG