Linha com menos trabalhadores e muitas chamadas falsas

O administrador da empresa que gere a Linha Saúde 24 revelou que metade dos trabalhadores não compareceu hoje ao serviço e alertou para o "elevado número" de chamadas falsas cuja origem prometeu averiguar.

Em declarações à agência Lusa a propósito da recusa de vários enfermeiros em realizarem hoje o atendimento telefónico, num protesto contra a redução do valor pago por hora, Luís Pedroso Lima disse que o serviço funcionou hoje com metade dos colaboradores.

"Obviamente que este diferendo perturba sempre o funcionamento da linha", disse o administrador da empresa LCS, responsável por esta linha do Serviço Nacional de Saúde (SNS).

Na origem do protesto está a intenção da empresa reduzir o valor pago por hora aos colaboradores que, segundo Luís Pedroso Lima, se deve à diminuição do montante que o Estado paga à empresa e que este ano será "70% mais baixo do que o valor inicialmente contratado".

A proposta da empresa é de baixar dos 8,75 euros pagos atualmente por hora de trabalho para os sete euros, "ainda assim superiores aos cinco euros por hora praticados nos hospitais do SNS", disse Luís Pedroso Lima.

Em relação aos colaboradores que hoje não trabalharam, o administrador ressalvou: "Não estamos perante uma greve, porque tal pressuporia um aviso de greve. Nem sequer fomos informados de que isto ia acontecer".

Luís Pedroso Lima adiantou ainda que a Linha de Saúde 24 recebeu hoje "um elevado número de chamadas falsas", as quais eram desligadas "ao fim de seis segundos de comunicação".

"Sendo este um serviço de interesse público, em que está a causa a saúde das pessoas, este tipo de chamadas perturba seriamente a qualidade clínica do trabalho que temos vindo a realizar", disse.

Sem querer adiantar a quem atribui este "elevado número" de chamadas falsas, Luís Pedroso Lima prometeu "apurar" a sua origem, através de "uma análise cuidada da situação".

Na segunda-feira a LCS volta a reunir-se com o Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP), esperando ouvir desta organização representativa dos trabalhadores "propostas concretas".

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG