Lamas dividido entre Cristas e Marco Almeida 

O ex-presidente do CCB aceitou ser presidente da Comissão de Honra de Marco Almeida, candidato em Sintra

Marco Almeida, o candidato independente à Câmara de Sintra, vai ter como presidente da Comissão de Honra o catedrático António Lamas, que durante nove anos dirigiu a empresa Parques de Sintra-Monte da Lua (PSML). Lamas que já tinha anunciado, no início do ano, o seu apoio a Assunção Cristas, em Lisboa, e garante que não tem o "coração dividido".

Em declarações ao DN, o ex-presidente do Centro Cultura de Belém, de onde saiu em 2016 em rutura com o então ministro da Cultura João Soares, sublinha que "Lisboa e Sintra sempre couberam" no seu coração, "que não está dividido, como nunca esteve". António Lamas vota em Lisboa, mas foi em Sintra que passou parte da sua vida profissional, entre 2006 e 2014, na PSML, de onde saiu para o CCB.

Vê este regresso a Sintra como uma "grande honra e desafio irrecusável. "Quando o Marco Almeida me convidou disse logo que sim", conta ao DN. "Conheci-o bem quando era vice-presidente do Fernando Seara e eu estava na Parques Sintra. É um homem muito sério, que conhece bem Sintra e os sintrenses e vai saber valorizar todo o património cultural e paisagístico do concelho", afirma.

António Lamas considera que o mandato de Basílio Horta, do PS, "foram anos perdidos para o património e para a cultura de Sintra" e acredita que Almeida "vai ativar alguns projetos" que tinha deixado preparados "mas foram deixados na gaveta pela câmara". Destaca a criação de um parque em torno de Queluz e uma gestão dos museus de forma integrada.

Em rutura com o PSD nas eleições de 2013, Marco Almeida concorreu como independente, com o apoio do "Movimento de Sintrenses com Marco Almeida (MSMA)" . Apesar de derrotado pelo PS, por apenas 1738 votos, conseguiu o mesmo número de quatro vereadores que os socialistas. Mas Ba-sílio aliou-se ao PSD, com dois vereadores, e ao PCP, com um, para governar a câmara. "Foi um cocktail nunca visto que teve como única intenção impedir o Marco de chegar à presidência", lembra António Lamas. Desta vez, Marco Almeida conta com o apoio oficial do PSD e do CDS, anunciado já no final do ano passado.

Além dos quatro vereadores, o MSMA ganhou também quatro das 11 juntas de freguesia do concelho (União de Freguesias de Sintra, Casal de Cambra, Colares, São João das Lampas e Terrugem).

Na área da cultura, o programa de Marco Almeida destaca a "ampliação do número de camas de turismo, a concretização do Parque de Campismo Municipal, a criação do Museu Etnográfico de Sintra, a articulação entre a câmara e a PSML para potenciação de projetos e a aposta na recuperação de património histórico".

Exclusivos