Juiz de instrução manda julgar jovem de Vagos por rapto de menor em Ponte de Lima

A jovem esteve encerrada na referida casa até ao dia 10 de março, quando foi encontrada pela Polícia Judiciária que a localizou através do sinal do telemóvel.

Um juiz de instrução criminal de Aveiro decidiu levar a julgamento o jovem de Vagos que em março de 2017 terá convencido uma rapariga de 13 anos de Ponte de Lima a abandonar a família para ir ter consigo. A informação consta de uma nota da Procuradoria Geral Distrital (PGD) do Porto, publicada esta quinta-feira na sua página oficial na Internet.

O arguido, conhecido no local como "escadote", foi pronunciado pela prática de um crime de rapto agravado, um crime de subtração de menor, doze crimes de abuso sexual de crianças e um crime de detenção de arma proibida.

O despacho de pronúncia, datado de 16 de janeiro, aceita integralmente a acusação do Ministério Público (MP).

De acordo com a acusação, o arguido encetou contactos com a rapariga através do Facebook e a pretexto de que a amava convenceu-a a deslocar-se da sua residência para Vagos, à revelia dos pais, o que esta fez no dia 3 de março de 2017, seguindo as instruções dadas pelo arguido quanto aos meios de transporte a usar.

O MP considerou indiciado que em Vagos o arguido conduziu a jovem a uma casa de residência pertença de familiares, onde a teve sob o seu domínio, à exceção dos breves instantes em que num desses dias lhe permitiu sair, e ainda que, durante esse tempo, manteve com a jovem trato sexual.

A jovem esteve encerrada na referida casa até ao dia 10 de março, quando foi encontrada pela Polícia Judiciária que a localizou através do sinal do telemóvel.

O arguido continua a aguardar os ulteriores termos do processo em prisão preventiva.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG