Júdice em documento que o liga a offshores de Rendeiro

Advogado nega qualquer intervenção nas sociedades de João Rendeiro que aparecem nos Papéis do Panamá

O ex-bastonário da Ordem dos Advogados, José Miguel Júdice, surge ligado às empresas offshore de João Rendeiro, antigo administrador do BPP, num documento que o Expresso publica esta terça-feira parte da investigação dos Papéis do Panamá.

O advogado tinha negado, no sábado, que tivesse "construído um offshore" ou qualquer ligação com este caso, mas o documento agora revelado pelo Expresso demonstra que Rendeiro atribuiu a Júdice, pelo menos, poderes para agir nas empresas Penn Plaza Management LLC e Corbes Group LLC.

A carta de Rendeiro é enviada à PLMJ, sociedade de advogados do ex-bastonário, e endereçada ao próprio José Miguel Júdice. Nela se lê que o antigo presidente do BPP assume "de forma irrevogável e sem reservas a obrigação de pagamento (...) de quaisquer quantias que venham a ser exigidas, seja ao que título for, ao Dr. José Miguel Alarcão Júdice, enquanto representante legal das sociedades Corbes Group LLC e Penn Plaza Management LLC".

Mesmo perante este documento, Júdice reiterou, ao Expresso, que nunca teve qualquer ação a estas empresas. "Que me lembre, e tenho boa memória, nunca soube que me tenham sido conferidos tais poderes, nunca os exerci e evidentemente não os exercerei", disse por escrito.

A Penn Plaza é uma offshore criada nas Ilhas Virgens britânicas em 1997 que, em 1998, adquiriu o lote 80 da Quinta Patño, em Cascais, onde há vários anos João Rendeiro tem o jardim de sua casa. A moradia propriamente dita fica no lote 81, que é propriedade da Corbes Bgroup LLC.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG