Nazaré. Tiroteio em escola C+S provoca um morto

Familiares de alunos dispararam tiros e houve agressões com arma branca no interior do estabelecimento

Uma rixa entre familiares de alunos da Escola Básica e Secundária Amadeu Gaudêncio na Nazaré, levou a uma troca de tiros no interior do estabelecimento de ensino. Houve um morto.

Foi por volta das 10.00 que familiares de um aluno entraram na escola e dispararam com armas de fogo. Houve ainda agressões com arma branca.

Um dos familiares - um homem de 67 anos - morreu devido às agressões com arma branca e arma de fogo, segundo informações do Comando de Operações Distritais (CDOS) de Leiria.

De acordo com o Hospital de Santo André, o homem, de 67 anos de idade, foi "admitido na emergência em manobras de Suporte Avançado de Vida, efetuadas pela equipa da VMER", e foram tentadas manobras de reanimação "sem sucesso, sendo verificado o óbito". Ainda segundo o hospital, a vítima apresentava "lesões provocadas por arma de fogo e por arma branca".

A agressão teve origem "num desentendimento entre familiares de dois alunos". O desentendimento ocorreu "no pátio da escola", onde se encontravam os alunos, alguns dos quais ficaram "em estado de choque", mas "nenhum sofreu ferimentos", explicou o responsável do CDOS. Alguns dos alunos receberam acompanhamento psicológico.

Os alunos entraram em pânico e começaram a telefonar aos pais, que recolheram os filhos no estabelecimento escolar. A Lusa confirmou com o vereador da Educação da Câmara da Nazaré que "a escola foi encerrada".

Entretanto, o Agrupamento de Escolas da Nazaré publicou um comunicado na sua página de Facebook, esclarecendo que "a situação está devidamente resolvida com a colaboração das autoridades, não tendo havido alunos, professores e funcionários envolvidos nos acontecimentos lamentáveis".

O agressor, de 40 anos, "foi controlado e detido por elementos da Escola Segura, encontrando-se à guarda da PSP", divulgou a mesma fonte.

A arma foi apreendida e a investigação entregue à Polícia Judiciária.

Os alunos foram retirados da escola, que se mantém encerrada, disse à Lusa o vereador da Educação na Câmara da Nazaré, Manuel Sequeira.

No local estiveram três ambulâncias, uma viatura de comando e sete operacionais dos bombeiros da Nazaré e elementos da PSP.

Exclusivos

Premium

Ferreira Fernandes

"Corta!", dizem os Diáconos Remédios da vida

É muito irónico Plácido Domingo já não cantar a 6 de setembro na Ópera de São Francisco. Nove mulheres, todas adultas, todas livres, acusaram-no agora de assédios antigos, quando já elas eram todas maiores e livres. Não houve nenhuma acusação, nem judicial nem policial, só uma afirmação em tom de denúncia. O tenor lançou-lhes o seu maior charme, a voz, acrescida de ter acontecido quando ele era mais magro e ter menos cãs na barba - só isso, e que já é muito (e digo de longe, ouvido e visto da plateia) -, lançou, foi aceite por umas senhoras, recusado por outras, mas agora com todas a revelar ter havido em cada caso uma pressão por parte dele. O âmago do assunto é no fundo uma das constantes, a maior delas, daquilo que as óperas falam: o amor (em todas as suas vertentes).

Premium

Crónica de Televisão

Os índices dos níveis da cadência da normalidade

À medida que o primeiro dia da crise energética se aproximava, várias dúvidas assaltavam o espírito de todos os portugueses. Os canais de notícias continuariam a ter meios para fazer directos em estações de serviço semidesertas? Os circuitos de distribuição de vox pop seriam afectados? A língua portuguesa resistiria ao ataque concertado de dezenas de repórteres exaustos - a misturar metáforas, mutilar lugares-comuns ou a começar cada frase com a palavra "efectivamente"?

Premium

Margarida Balseiro Lopes

O voluntariado

A voracidade das transformações que as sociedades têm sofrido nos últimos anos exigiu ao legislador que as fosse acompanhando por via de várias alterações profundas à respetiva legislação. Mas há áreas e matérias em que o legislador não o fez e o respetivo enquadramento legal está manifestamente desfasado da realidade atual. Uma dessas áreas é a do voluntariado. A lei publicada em 1998 é a mesma ao longo destes 20 anos, estando assim obsoleta perante a realidade atual.