Segredos da Guarda Suíça revelados no São Jorge

Responsável do Vaticano apresenta esta sexta-feira o exército mais pequeno do mundo, num documentário integrado no FESTin

É a nação mais pequena do mundo, com apenas 0,44 quilómetros quadrados, mas tem um exército próprio. Como os seus habitantes não procriam, porque todos se obrigam ao celibato por opção religiosa, os soldados são recrutados noutro país. É a Guarda Suíça que no Estado do Vaticano garante diariamente a proteção do Chefe da Igreja Católica. Hoje, pelas 19.00, no Cinema São Jorge, em Lisboa, vai saber-se tudo sobre O Menor Exército do Mundo com a exibição do documentário do realizador italiano Gianfranco Pannone, integrado no FESTin, que decorre até dia 6. A apresentação, duas horas antes, é assegurada por monsenhor Dario Viganò.

O documentário, produzido pelo Canal de Televisão do Vaticano e apresentado no Festival de Cinema de Veneza em 2015 revela o dia-a-dia dos recrutas, desde a saudação à família, o voo até Roma, a chegada à Porta Sant"Ana, a entrada na Cidade do Vaticano, a formação, a dimensão da fé e a responsabilidade do serviço à Igreja e a missão de proteger o Papa.

"Encontrei grande abertura na Guarda Suíça, fiquei surpreendido porque talvez tivesse algum preconceito. Acredito, no entanto, que essa impressão diversa e positiva seja fortemente influenciada pela presença do Papa Francisco, que é uma figura que aparece sempre de fundo mas é importantíssima", disse Gianfranco Pannone, à Radio Vaticana.

René, de 27 anos, é o protagonista do filme. A experiência como soldado da guarda pontifícia marcou--o profundamente e já decidiu estudar Teologia quando regressar a casa. Confessou que "foi uma bela experiência" e uma "bela abordagem da vida na Guarda, em Roma"

A Guarda Suíça, fundada pelo papa Júlio II em 1506, é formada por voluntários recrutados naquele país. O corpo organizado militarmente é formado por 110 homens, incluindo quatro oficiais. O serviço dura no mínimo dois anos e pode ir até 20. Para ser selecionado é preciso professar a fé católica, ter nascido na Suíça, ter mais de 1,74 m e ter frequentado a recruta no exército suíço. Os soldados deverão ter até 30 anos e ser solteiros .