São Paulo vai ter a primeira escola internacional portuguesa

É esta quinta-feira que será dado o primeiro passo em direção à abertura da escola que terá um Centro de Língua Portuguesa, dupla certificação curricular e formação para professores

Esta quinta-feira vai escrever-se mais um capítulo da história portuguesa no Brasil. O governador Geraldo Alckmin e o Embaixador de Portugal no Brasil, Jorge Cabral, vão assinar pelas 14:30, no Palácio dos Bandeirantes, o documento que dá ao governo português direito sobre o terreno do Centro Educativo Regional Centro-Oeste, no bairro Sumaré, em São Paulo, o local onde vai nascer a primeira escola internacional portuguesa no Brasil.

O projeto é fruto de um plano de cooperação entre o Governo Português e a Secretaria de Educação do Governo do Estado de São Paulo.

Recorde-se que a "primeira pedra" deste projeto foi lançada em junho de 2017, altura em que o acordo para a construção da escola foi assinado por Geraldo Alckmin e pelo Ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, na presença do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa e do primeiro-ministro, António Costa.

A futura escola será uma instituição de ensino com dupla certificação curricular, dotada ainda de um Centro de Língua Portuguesa e de um núcleo de formação para professores. O objetivo é prestar ensino a todas as nacionalidades e garantir que haja uma percentagem de vagas dedicadas aos alunos da rede pública estatal.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Pedro Lains

Compreender Marques Mendes

Em Portugal, há recorrentemente espaço televisivo para políticos no activo comentarem notícias generalistas, uma especificidade no mundo desenvolvido. Trata-se de uma original mistura entre comentário político e espaço noticioso. Foquemos o caso mais saliente dos dias que correm para tentar perceber a razão dessa peculiaridade nacional. A conclusão é que ela não decorre da ignorância das audiências, da falta de especialistas sobre os temas comentados, ou da inexistência de jornalistas capazes. A principal razão é que este tipo de comentário serve acima de tudo uma forma de fazer política.