PSD quer procura da verdade "doa a quem doer"

Secretário-geral do partido admitiu que as buscas da Polícia Judiciária (PJ) e do DIAP de Lisboa por causa de alegada corrupção em juntas lideradas pelos sociais-democratas decorrem na sede nacional.

Em conferência de imprensa, José Silvano fez questão de sublinhar a investigação à distrital do PSD de Lisboa e às juntas de freguesia do Areeiro, Santo António e Estrela é sobre factos anteriores à eleição de Rui Rio e desta direção do PSD.

Quis também deixar claro que a direção de Rio elegeu para o seu mandato o combate à corrupção, pelo que o partido "nunca colocará obstáculos à procura da verdade, doa a quem doer". Aos agentes da PJ e do DIAP presente na São Caetano à Lapa, garantiu, foram disponibilizados todos os documentos e espaços solicitados. E justificou as buscas na sede com o facto de nas contas do partido aprovadas recentemente terem sido consolidadas as das estruturas distritais e concelhias.

José Silvano pediu o "máximo de celeridade" nas investigações. Mas advertiu: "nada justifica comportamentos lesivos do interesse público". Quanto aos envolvidos nesta investigação, nomeadamente o conselheiro nacional do partido Carlos Eduardo Reis, o secretário-geral do PSD disse desconhecer os pormenores da investigação.

Frisou que o partido já tem mecanismos internos para penalizar os militantes que, após transito em julgado, venham a ser condenados por corrupção. Se assim vier a acontecer, "seremos os primeiros a tomar medidas".

Ler mais

Exclusivos