Portugal é o primeiro país a receber aeronave militar KC-390

Avião de transporte militar do construtor brasileiro Embraer, em fase de testes, é apresentado em Alverca no dia 4 de julho.

Portugal é o primeiro país fora do Brasil a receber a aeronave de transporte militar KC-390, em Évora e Alverca.

O aparelho, em cujo projeto de desenvolvimento há uma participação significativa da indústria portuguesa, vai estar na próxima semana em Évora - onde o construtor brasileiro Embraer tem duas fábricas - e, a 4 de julho, em Alverca (nas instalações da OGMA), soube o DN.

As cerimónias de apresentação do KC-390 em Portugal antecedem a participação do aparelho na feira aeronáutica internacional de Farnborough, em Inglaterra, que decorre de 11 a 17 de julho.

Além do Brasil, Portugal, Argentina e República Checa são os outros países envolvidos na construção do Embraer KC-390, que pelas suas características é visto como a aeronave de transporte militar que vai substituir os C-130 a nível global.

Portugal manifestou intenção de comprar seis aparelhos e, segundo fontes da Força Aérea, os testes pedidos para verificar se o KC-390 cumpre o que os projetistas e engenheiros puseram no papel têm sido executados com sucesso.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Viriato Soromenho Marques

Quem ameaça a União Europeia?

Em 2017, os gastos com a defesa nos países da União Europeia tiveram um aumento superior a 3% relativamente ao ano anterior. Mesmo em 2016, os gastos militares da UE totalizaram 200 mil milhões de euros (1,3% do PIB, ou o dobro do investimento em proteção ambiental). Em termos comparativos, e deixando de lado os EUA - que são de um outro planeta em matéria de defesa (o gasto dos EUA é superior à soma da despesa dos sete países que se lhe seguem) -, a despesa da UE em 2016 foi superior à da China (189 mil milhões de euros) e mais de três vezes a despesa da Rússia (60 mil milhões, valor, aliás, que em 2017 caiu 20%). O que significa então todo este alarido com a necessidade de aumentar o esforço na defesa europeia?