"Já hoje dizemos não a milhares de turistas que nos querem visitar"

As agências de turismo dizem que a falta de solução dos problemas do aeroporto de Lisboa "chega a parecer ridícula"

A Associação Portuguesa de Agências de Viagem e Turismo (APAVT) diz que neste momento, por falta de capacidade do aeroporto de Lisboa já está a ser recusada a vinda de "milhares de turistas". O cenário mostrado pelo DN, das filas para sair do aeroporto - onde os passageiros ficam qual sardinhas em lata à espera para passar a alfândega e ter acesso ao exterior - não surpreendeu o presidente Pedro Costa Ferreira: "é uma situação frequente e recorrente, no aeroporto de Lisboa", assinala.

Para este responsável, que conhece de perto as preocupações dos operadores turísticos, "temos de assumir que, além de um problema de aeroporto ( precisamos de mais um ) , temos atualmente um problema com o aeroporto. Por um lado, milhares de slots estão a ser negados. Por outro lado, a quem nos consegue visitar, "servimos" uma a duas horas de espera, como bebida de boas-vindas !...Por outras palavras, já hoje dizemos "não" a milhares de turistas que nos querem visitar".

Lamenta que "principal porta do País" esteja "fechada" e que esta "situação se tem vindo a agravar, tendo já sido assinalada por todos os stakeholders do mercado". Para Pedro Costa Ferreira "a falta de resolução deste problema chega a parecer ridícula. Aparentemente toda gente está contra, toda a gente sabe por onde passa a solução e nada acontece !". A APAVT está "preocupada com a situação" e lembra que "este ano e no próximo, teremos que ultrapassar desafios delicados, se quisermos manter o crescimento do nosso turismo.

SEF reforça inspetores

Com o objetivo de responde ao aumento do fluxo de passageiros, previsto para os próximos meses de verão, o SEF anunciou esta quarta-feira que vai reforçar o número de inspetores nos aeroportos. Para Lisboa seguem 36 inspetores esta quinta-feira, um de junho, que se juntam aos 176 que ali prestam serviço (menos 50 que no verão passado). A zona de controlo de passaportes tem sido palco das maiores reclamações, com as filas de espera, principalmente nas primeiras horas da manhã quando chegam os voos transcontinentais a chegarem às duas horas de espera. Conforme o DN já noticiou, um relatório de monitorização da ANA. mostrou que em metade dos dias de fevereiro e março houve demoras de mais de uma hora no controlo de passaportes.

O SEF diz que "o reforço de pessoal nesta estrutura aeroportuária tem vindo a ser uma prioridade, de forma a corresponder aos níveis de serviço relativos aos tempos de espera", mas os inspetores entendem que esse esforço do SEF não chega e que será preciso que a ANA, empresa que gere o aeroporto, faça investimentos na infraestrutura para que possa haver uma separação de passageiros, de acordo com o risco de origem que esteja determinado.

"É imprescindível criar novas zonas de controlo de passageiros, separando-os em função das origens, e novas "boxes" para os inspetores do SEF poderem fazer o seu trabalho", afirma o presidente do Sindicato da Carreira de Investigação e Fiscalização. Acácio Pereira reconhece que "a Direção Nacional do SEF está a fazer um esforço enorme para reforçar o Aeroporto Humberto Delgado, prejudicando até as funções de investigação criminal do SEF pelo resto do país, como o sindicato dos inspetores tem alertado" mas que "como a ANA não faz o que lhe compete, esse esforço pode ser em vão". Este dirigente garante que "pela parte dos inspetores do SEF, eles farão tudo o que as regras de segurança exigem, com todo o rigor: a segurança de Portugal e dos países da União Europeia de que Portugal é fronteira externa assim o exige. Pela nossa parte, não podemos facilitar".

Ler mais

Exclusivos