António Costa: é preciso quebrar "círculo vicioso" de abandono da floresta

Primeiro-Ministro visitou hoje uma ação de limpeza organizada pelo município de Loulé

O primeiro-ministro, António Costa, defendeu hoje que é preciso "interromper o círculo vicioso" que conduziu ao abandono das florestas e à falta de limpeza nas matas.

Esta afirmação do Primeiro-Ministro surgiu na sequência da reivindicação da presidente da Câmara de Portalegre, Adelaide Teixeira, que considera que os municípios devem estar mais dotados de equipamentos e meios humanos para a limpeza das florestas.

"Quando as zonas de intervenção florestal e as entidades estiverem plenamente a funcionar, os próprios privados passam a ter rendimento de exploração florestal que permita fazer a limpeza. Nós temos de interromper este círculo vicioso em que o abandono ou a falta de rendimentos da floresta faz com que ninguém limpe", afirmou o Primeiro-Ministro.

António Costa e o ministro da Agricultura, Capoulas santos, visitaram dois pontos na Serra de São Mamede, em Portalegre, onde estão a decorrer trabalhos de limpeza na floresta, tendo nessa visita "vestido" o papel de sapadores florestais e também eles contribuíram para a limpeza daquele espaço.

O Primeiro-Ministro iniciou hoje o dia a sul, visitando uma ação de limpeza organizada pelo município de Loulé (distrito de Faro), seguindo depois para Portalegre.

No conjunto das ações, que visam também "clarificar que o trabalho de limpeza de terrenos decorrerá até 31 de maio", participam o Presidente da República e cerca de 20 membros do Governo.

Ler mais

Exclusivos