"Bom para Portugal, bom para o PSD", diz Rio. Assinado acordo sobre descentralização

Primeiro-ministro e líder social democrata encontram-se em São Bento

Está assinado o acordo entre PSD e governo sobre fundos europeus e descentralização. O entendimento foi subscrito ao final da tarde de hoje - mas numa sala fechada, longe das câmaras dos jornalistas. Para a fotografia ficou apenas um aperto de mão entre António Costa e Rui Rio. E algumas justificações, de parte a parte.

"Este acordo é bom para Portugal e, se é bom para Portugal, é bom para o PSD", afirmou o líder social-democrata, quando questionado sobre se as críticas que já se ouvem no partido a este entendimento. "Quem pensa o contrário está a pensar mal", sublinhou o presidente do partido, que antes já tinha afirmado: "Este acordo é bom para o PSD? A pergunta tem pouco interesse, é bom para Portugal".

António Costa - que não tem reservas no partido, mas tem os parceiros de esquerda desconfiados desta aproximação ao PSD - disse ter a "mesma interpretação de Rio", defendendo que não se deve confundir diferentes planos. Se é da maior importância que estes acordos "sejam o mais alargados possível" , na medida em que atravessam várias legislaturas, Costa garante que em nada beliscam a solução política de governo: "É com base nessa solução paralmentar que este governo existe e governa"

Antes das declarações conjuntas, António Costa e Rui Rio estiveram reunidos durante cerca de uma hora, num encontro onde estiveram também os negociadores dos dois acordos hoje firmados: Eduardo Cabrita, ministro da Administração Interna, e o social-democrata Álvaro Amaro, que fecharam o dossier da descentralização; e Pedro Marques, ministro do Planeamento e Infraestruturas, e o vice-presidente do PSD Castro Almeida, que conduziram as negociações sobre o futuro quadro comunitário de apoios. Na reunião esteve ainda Pedro Nuno Santos, secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares, responsável pelas negociações com os parceiros do governo... à esquerda.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.

Premium

Diário de Notícias

A ditadura em Espanha

A manchete deste dia 19 de setembro de 1923 fazia-se de notícias do país vizinho: a ditadura em Espanha. "Primo de Rivera propõe-se governar três meses", noticiava o DN, acrescentando que, "findo esse prazo, verá se a opinião pública o anima a organizar ministério constitucional". Explicava este jornal então que "o partido conservador condena o movimento e protesta contra as acusações que lhe são feitas pelo ditador".