Elétrico 24 vai ligar Cais do Sodré e Campolide

Plano da Carris para 2018 prevê o alargamento da rede de elétricos na cidade. 24 regressa e o 15 vai ter percurso alargado

A Carris estima que a carreira de elétrico 24 regresse às ruas de Lisboa durante o próximo ano, voltando a ligar o Cais do Sodré a Campolide, aponta o Plano de Atividades e Orçamento da empresa para 2018.

Está previsto para 2018 o alargamento da rede de elétricos, nomeadamente o alargamento da linha de elétrico 15 da Praça do Comércio à Estação Ferroviária de Santa Apolónia, e a implementação da linha 24 com ligação do Cais do Sodré a Campolide, segundo documento ao qual a Lusa teve acesso. Durante o próximo ano, será também "iniciado o estudo da expansão da linha 15 ao Parque das Nações, e da ligação do Eixo Central da Alta de Lisboa a Entrecampos", aponta o texto. Atualmente, o elétrico 15 liga a Praça da Figueira a Belém.

Este documento e as orientações estratégicas da Carris serão apreciados hoje pela Câmara Municipal de Lisboa, em reunião privada do executivo de maioria socialista. Em 2018, a rodoviária, que é gerida pelo município desde fevereiro, prevê "reforçar o número de faixas bus e a fiscalização em parceira com a Polícia Municipal, visando mitigar os efeitos resultantes da ocupação indevida das vias, nomeadamente por estacionamento indevido", que tem efeitos no cumprimento dos horários previstos.

Neste sentido, para o próximo ano está também estimada a "implementação de um sistema de corredores bus de elevado desempenho na Estrada de Benfica e no Arco Ribeirinho". Relativamente a melhorias tecnológicas, será disponibilizada, "durante o ano de 2018, uma rede wi-fi gratuita", que será disponibilizada aos clientes "de forma progressiva, mas com o objetivo de cobrir toda a sua frota de autocarros e elétricos", acrescenta o Plano de Atividades e Orçamento, que indica que o concurso para fornecimento deste sistema foi lançado "no quarto trimestre de 2017".

Para 2018 está previsto um investimento total de mais de 57 milhões de euros, destinando-se a maior fatia (43,9 milhões) à renovação da frota de autocarros. No plano, a Carris destaca também investimentos relativos "a grandes reparações de material circulante, modernização dos sistemas de bilhética e a construção de um posto de abastecimento de gás natural".

No que toca à oferta, a empresa espera um "aumento mínimo de 7,5%", valor associado à "entrada em funcionamento de novos autocarros ao longo do segundo semestre de 2018 e em 2019". Já quanto à procura, "prevê-se um crescimento de cinco milhões de passageiros transportados (mais 4,1%) em relação a este ano".

Ler mais

Exclusivos