24 horas sem TV, telefone e net. Avaria da MEO dá Natal "diferente" a 100 famílias de Constância

Contactado pela Lusa, o departamento técnico da MEO disse que estes clientes "hoje já não devem ter o serviço a funcionar"

Os clientes da MEO de Constância estão sem telefone, internet e televisão há mais de 24 horas, desde a madrugada de domingo e durante todo dia de hoje, não havendo previsão para a reposição do serviço, segundo a operadora.

"Este tem sido um Natal no mínimo diferente, sem acesso a telefone fixo, sem computador e e-mails, porque não temos internet, e sem televisão nem acesso a qualquer tipo de informação ou entretenimento", disse à Lusa o presidente da Junta de Freguesia de Constância, no distrito de Santarém, que criticou a falta de uma resposta mais célere por parte da operadora para a reposição do serviço.

"Numa altura em que a televisão e a internet são quase indispensáveis no nosso dia-a-dia, mais a mais nesta quadra natalícia e em que as famílias estão reunidas, é de lamentar que não haja uma resposta célere para a reposição ou previsão de retoma dos serviços numa avaria que está a afetar desde a madrugada de domingo mais de uma centena de habitações em Constância", disse José Manuel Rita, presidente daquela junta de freguesia, onde habitam cerca de 900 pessoas.

"Temos entre 100 a 150 residências e as respetivas famílias afetadas, e os serviços da operadora só me dizem que a avaria é externa e que estão a fazer o possível para repor os serviços. Certo é que já lá vão quase dois dias e o Natal está a ser passado desta forma em plena sede do concelho", lamentou o autarca de Constância.

Contactado pela Lusa, o departamento técnico da MEO disse que estes clientes "hoje já não devem ter o serviço a funcionar porque", observou, "é dia de Natal e hoje não há serviço de técnicos para o exterior".

Questionado sobre as previsões para a reposição de serviços, Sandro Monteiro disse que, "provavelmente, só amanhã", dia em que "já haverá técnicos para resolver as avarias comuns", ou seja, as avarias que afetam em simultâneo várias habitações.

A Lusa contactou ainda fonte oficial da Altice, dona da operadora Meo, mas até ao momento não obteve esclarecimentos sobre esta falha no serviço.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Nuno Artur Silva

Notícias da frente da guerra

Passaram cem anos do fim da Primeira Guerra Mundial. Foi a data do Armistício assinado entre os Aliados e o Império Alemão e do cessar-fogo na Frente Ocidental. As hostilidades continuaram ainda em outras regiões. Duas décadas depois, começava a Segunda Guerra Mundial, "um conflito militar global (...) Marcado por um número significativo de ataques contra civis, incluindo o Holocausto e a única vez em que armas nucleares foram utilizadas em combate, foi o conflito mais letal da história da humanidade, resultando entre 50 e mais de 70 milhões de mortes" (Wikipédia).

Premium

nuno camarneiro

Uma aldeia no centro da cidade

Os vizinhos conhecem-se pelos nomes, cultivam hortas e jardins comunitários, trocam móveis a que já não dão uso, organizam almoços, jogos de futebol e até magustos, como aconteceu no sábado passado. Não estou a descrever uma aldeia do Minho ou da Beira Baixa, tampouco uma comunidade hippie perdida na serra da Lousã, tudo isto acontece em plena Lisboa, numa rua com escadinhas que pertence ao Bairro dos Anjos.