Assunção Cristas: "Valeu a pena arregaçar as mangas"

Não vos vamos defraudar, vamos superar aos vossas expectativas", disse a líder do CDS, em noite histórica para o partido em Lisboa

A presidente do CDS teve a primeira intervenção da noite, a reagir aos resultados já conhecidos. "Esta é uma noite histórica para o CDS", começou por dizer Assunção Cristas e dedicou a sua "primeira palavra a todos os que confiaram o seu voto ao CDS, alguns pela primeira vez". "Não vos vamos defraudar, vamos superar as vossas expectativas", salientou.

Assunção lembrou que tinha assumido, logo quando foi eleita líder do partido em março de 2016, que "as autárquicas não eram para o CDS umas eleições de menor importância" e que "o partido estaria empenhado". "Fizemos bem e o resultado está à vista", exclamou, enchendo a sala de aplausos. A presidente do CDS entende que os objetivos, tendo em conta as projeções e os resultados já conhecidos, "foram superados".

Em Lisboa, assinalou, "dissemos que íamos ter uma candidatura forte e mobilizada e assim foi com a Nossa Lisboa. A confirmarem-se as projeções teremos o melhor resultado desde 1976", declarou.

Assunção considerou que "valeu a pena arregaçar as mangas e calcorrear as ruas de Lisboa, ir ter com as pessoas". A presidente centrista prometeu que "essa é a postura" que "só agora está a começar". O partido, garante, "está animado e confiante. Só queremos uma coisa: servir melhor todos os portugueses".

Ler mais

Premium

DN Life

DN Life. «Não se trata o cancro ou as bactérias só com a mente. Eles estão a borrifar-se para o placebo»

O efeito placebo continua a gerar discussão entre a comunidade científica e médica. Um novo estudo sugere que há traços de personalidade mais suscetíveis de reagir com sucesso ao referido efeito. O reumatologista José António Pereira da Silva discorda da necessidade de definir personalidades favoráveis ao placebo e vai mais longe ao afirmar que "não há qualquer hipótese ética de usar o efeito placebo abertamente".