Amadora-Sintra, Faro e Garcia de Orta lideram nas queixas. No privado, é o Hospital da Luz

No ano passado, no total, os utentes fizeram 70 120 queixas nos hospitais e serviços de saúde

O hospital Amadora-Sintra foi aquele que registou mais queixas de utentes no ano passado, com 2185 reclamações. Seguiram-se o de Faro (com 1940) e o Garcia da Orta (1710).

No privado, o Hospital da Luz (1149), a CUF Descobertas (999) e os Lusíadas (678) lideraram no número de queixas. Quanto às parcerias público-privadas, o Hospital de Braga teve 1442 reclamações, o Beatriz Ângelo, em Loures, 1370, e o de Cascais ficou ainda acima das mil, com 1014.

Os números foram divulgados esta quinta-feira pela Entidade Reguladora da Saúde (ERS), que salienta que apresenta o valor bruto de reclamações para cada um dos estabelecimentos, sem qualquer ponderação quanto à dimensão da população que atende. Ou seja, é normal que os hospitais que atendem mais pessoas tenham mais reclamações. No caso dos referidos, são hospitais com internamento.

No ano passado, no total, os utentes fizeram 70 120 queixas nos hospitais e serviços de saúde, uma subida de 18,4% em relação ao ano anterior.

Os procedimentos administrativos e os tempos de espera foram os principais motivos para as reclamações - originando duas em cada cinco -, mas enquanto a primeira reclamação é mais comum no sector privado e social, a segunda é no sector público e público-privado.

Nos casos em que houve decisão da ERS, 2628 originaram "processos de avaliação para aprofundamento da averiguação da atuação do prestador".

Houve também quem quisesse deixar elogios: 8948 fizeram-no, sobretudo para distinguir o "pessoal clínico".

Ler mais

Exclusivos