Iniciativas de PCP, PEV e PAN para salário mínimo de 600 euros chumbadas

A resolução foi rejeitada com os votos contra do PSD, CDS-PP e do socialista Paulo Trigo Pereira

Os projetos de resolução do PCP, PEV e PAN, que recomendavam ao Governo o aumento para 600 euros do salário mínimo nacional já em janeiro, foram esta sexta-feira rejeitados na sessão plenária da Assembleia da República.

O texto comunista foi rejeitado com os votos contra de PSD, CDS-PP e do socialista Paulo Trigo Pereira, a abstenção do PS e votos favoráveis dos outros partidos.

A resolução do PEV teve a mesma votação do projeto do PCP, enquanto a iniciativa do PAN, apesar de votos favoráveis do BE e PCP e da abstenção do PS e CDS-PP, foi chumbada com os votos contra do PSD e do socialista Paulo Trigo Pereira.

Exclusivos

Premium

Contratos públicos

Empresa que contratava médicos para prisões não pagou e sumiu

O Estado adjudicou à Corevalue Healthcare Solutions, Lda. o recrutamento de médicos, enfermeiros, psicólogos e auxiliares para as prisões. A empresa recrutou, não pagou e está incontactável. Em Lisboa há mais de 30 profissionais nesta situação e 40 mil euros por pagar. A Direção dos Serviços Prisionais diz nada poder fazer.