Investidos 800 mil euros em pontes ferroviárias na Linha do Sul

Trabalhos de tratamento anticorrosivo visam atenuar os efeitos nocivos da exposição a agentes como a humidade, a salinidade ou a poluição

Seis pontes metálicas ferroviárias da Linha do Sul, nos concelhos alentejanos de Ourique e Odemira (Beja) e no algarvio de Silves (Faro), estão a receber tratamento anticorrosivo, num investimento que ronda os 800 mil euros.

A Infraestruturas de Portugal (IP), responsável pela intervenção, revelou esta terça-feira que os trabalhos de tratamento anticorrosivo já foram iniciados, visando o "reforço das condições de segurança" das pontes.

Trata-se de "uma intervenção de manutenção preventiva, no reforço das condições de fiabilidade e segurança da infraestrutura ferroviária", frisou a IP, explicando que a empreitada "representa um investimento de cerca de 800 mil euros".

Os trabalhos, realçou a empresa, "revestem-se da maior importância para a preservação e manutenção das estruturas metálicas, atenuando os efeitos nocivos da exposição aos vários agentes, tais como a humidade, a salinidade ou a poluição".

Com um prazo de execução de 210 dias, as obras abrangem as pontes de Garvão II, de Totenique, da Consulta, do Padronito, de Mira e do Barranco Longo, "localizadas no troço da Linha do Sul que atravessa os concelhos de Ourique, Odemira e Silves".

Na Linha do Sul, segundo a IP, existem 180 pontes, 33 delas metálicas.

Já da rede ferroviária nacional, continuou, fazem parte 2.358 pontes, das quais "547 são pontes metálicas, algumas delas centenárias e de elevado valor histórico e simbólico".